PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Wagner dedica último dia de campanha a ataques contra Sarto e irmãos Ferreira Gomes

Em duas lives, o candidato do Pros fez série de acusações ao adversário pedetista e irmãos Ciro e Cid Gomes.

19:45 | 14/11/2020
Wagner  reúne apoiadores para live no último dia de campanha. (Foto: Divulgação)
Wagner reúne apoiadores para live no último dia de campanha. (Foto: Divulgação)

O deputado federal Wagner Sousa, candidato à prefeitura de Fortaleza pelo Pros, reservou o último dia de campanha para promover lives com ataques diretos ao principal adversário dele, José Sarto (PDT). No fim da manhã, o candidato apareceu sozinho e, durante quase 20 minutos, fez diversas acusações e relembrou situações polêmicas envolvendo o pedetista. De acordo com o candidato popularmente conhecido como “Capitão”, ele atende ao desejo de Sarto de tornar-se conhecido entre os eleitores.

Na década de 1990, Sarto foi presidente da Câmara dos Vereadores de Fortaleza. Após sua saída, teve as contas da gestão desaprovadas pelo já extinto Tribunal de Contas do Município. Wagner relembrou o caso e o fato de Sarto ter, posteriormente, votado pela extinção do órgão de fiscalização, em 2017.

Ainda sobre a atuação do adversário na AL-CE, o deputado federal chamou a atenção para o fato do pedetista já ter sofrido descontos no salário por ser recordista de faltas. Ainda citou feitos de Sarto como deputado estadual: nomeação de 14 ruas, aprovação de um título de cidadão e criação da Festa da Padroeira. “Quem vai administrar a quinta capital do país tem que ter compromisso o trabalho”, avaliou.

Wagner ainda tratou sobre a reforma da previdência municipal e disse que o projeto ainda não foi posto em prática porque Roberto Cláudio teria receio de desgastar a imagem do seu sucessor. O deputado sugeriu que a reforma ocorreria assim que Sarto ganhasse o pleito em Fortaleza.

Na segunda transmissão do dia, Wagner passou quase 90 minutos ao lado de sete políticos conhecidos por defenderem pautas evangélicas ou representarem o bolsonarismo no Ceará. André Fernandes, deputado estadual (PSL), a vereadora pelo PSC Priscila Costa, o deputado estadual Luiz Henrique, do PP, David Durand, deputado estadual (Republicanos), Dra Silvana, deputada estadual pelo PL, e o deputado federal Jaziel Pereira, do PL, acusaram o grupo governista de promover diversas situações que impedem a livre pregação do evangelho e em favor da família.

Durante a conversa André Fernandes, afirmou que a possível eleição de Sarto em Fortaleza favorece a manutenção da oligarquia Ferreira Gomes no poder. O deputado estadual chegou a sugerir que o grupo governista seria favorável ao abuso sexual e violência doméstica por terem impedido um evento de igreja que trataria sobre a prevenção dessas violências. As críticas ainda foram direcionadas a outros municípios com gestões apoiadas pelo grupo governista, como Sobral, onde Ivo Gomes busca a reeleição como prefeito.

Por volta dos 40 minutos de vídeo, o senador Eduardo Girão, do Podemos, principal apoiador e patrocinador da campanha de Wagner, entrou na conversa fazendo um discurso sobre proteção à vida, contra o aborto e liberação da maconha.

A assessoria de Sarto foi buscada durante todo o dia para comentar as acusações mas não apresentou resposta até o fechamento desta matéria.