PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro pede voto em Capitão Wagner e convoca apoiadores em Fortaleza: "Minha segunda cidade do Brasil"

Bolsonaro disse também que Capitão Wagner, uma vez eleito, terá linha direta com o Governo Federal. O presidente citou André Fernandes e Delegado Cavalcante e solicitou apoio

Matheus Facundo
23:47 | 05/11/2020
 Bolsonaro pediu voto em Wagner na live, espaço que já usou para cobrar de Camilo acordo com PMs (Foto: Reprodução/Facebook)
 Bolsonaro pediu voto em Wagner na live, espaço que já usou para cobrar de Camilo acordo com PMs (Foto: Reprodução/Facebook)

Segurando uma foto da chapa do candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo Pros, Capitão Wagner, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), pediu votos para o PM cearense e convocou seus apoiadores na Capital para darem força na campanha. O momento ocorreu durante o que o Chefe do Executivo Nacional chamou de "horário eleitoral gratuito",quando divulgou sete candidatos prefeituráveis que o apoiam no Brasil, além de diversos vereadores.

LEIA MAIS| Pesquisa Datafolha Fortaleza: Capitão Wagner 29%, Sarto 26% e Luizianne 18%

"Tem muita gente que apoia em Fortaleza. O Alex Ceará, ajuda aí! André Fernandes, Delegado Cavalcante, Celi Duarte. Fortaleza parece que é minha segunda cidade do Brasil. Vamos dar uma força pro Wagner mudar a política de lá", comentou Bolsonaro em transmissão nas redes sociais na noite desta quinta-feira, 5.

O presidente começou a "campanha" para Wagner citando que era "mais um capitão", assim como ele, que é capitão reformado da Polícia Militar: "Tem um capitão aqui também!". Ele citou ainda que a Capital "certamente" terá um segundo turno e que tem certeza que o candidato do Pros "tem tudo para fazer uma boa administração e renovar a política do município, que está precisando".

Bolsonaro disse também que Capitão Wagner, uma vez eleito, terá linha direta com o Governo Federal. "Isso é muito bom para a Capital do Estado do Ceará, então é Wagner 90", finalizou. Na live, Bolsonaro ainda divulgou a candidatura do filho Carlos, que concorre a vereador pelo partido Republicanos no Rio de Janeiro.