PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Eduardo Cunha é condenado a 15 anos de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Ele é acusado de exigir e receber US$ 5 milhões em propina de contratos de construção de navios-sonda da Petrobras. Defesa afirmou que vai recorrer à condenação

23:10 | 09/09/2020
Cunha está preso desde 2016. Em março deste ano, ele foi transferido para prisão domiciliar por conta da pandemia  (Foto: Divulgação)
Cunha está preso desde 2016. Em março deste ano, ele foi transferido para prisão domiciliar por conta da pandemia (Foto: Divulgação)

Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-deputado, foi condenado nesta quarta-feira, 9, a 15 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva no âmbito da Operação Lava Jato. Ele é acusado de exigir e receber US$ 5 milhões em propina de contratos de construção de navios-sonda da Petrobras. Defesa afirmou que vai recorrer da sentença.

Em nota, a defesa da Cunha disse que a ação "trata-se de uma sentença teratológica, servil a uma visão punitivista, cruel e decadente de criminalização da política". O texto diz ainda que não existem provas das acusações e que os crimes atribuídos a ele foram praticados por delatores. As informações são do portal G1.

A defesa informou que irá recorrer da sentença dada pelo juiz Luiz Antônio Bonat. Além da pena, o magistrado determinou também o confisco de quatro carros que são de posse de Cunha para reverter os valores em favor da Petrobras. Esta é a segunda condenação do ex-deputado no âmbito da Lava Jato.

Cunha está preso preventivamente desde outubro de 2016. Em março deste ano, a Justiça Federal autorizou que ele fosse transferido para prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, por ter 61 anos e ser grupo de risco da Covid-19. A primeira condenação em 1ª instância na Lava Jato veio em março de 2017 pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Pena foi fixada em 14 anos e seis meses.