PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Idilvan quer "pacto estadual" para recuperar perdas na educação causadas pela pandemia

Sétimo entrevistado da série com prefeituráveis, Idilvan Alencar (PDT) defendeu ainda mais investimentos e valorização do professor. Também negou que seja candidato de "X, Y ou Z"

11:46 | 11/08/2020
Idilvan Alencar, deputado federal, foi o sétimo entrevistado da Rádio O POVO CBN entre os possíveis prefeituráveis às eleições 2020 (Foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados)
Idilvan Alencar, deputado federal, foi o sétimo entrevistado da Rádio O POVO CBN entre os possíveis prefeituráveis às eleições 2020 (Foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados)

 

O deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, Idilvan Alencar (PDT), defendeu um pacto interinstutiocional para superar perdas causadas na educação na esteira da pandemia de Covid-19.

“Minha ideia é lançar um pacto estadual para recuperar o que perdemos no aprendizado”, disse o pedetista em entrevista à Rádio O POVO CBN.

A conversa com o parlamentar integra série de diálogos realizada por todas as plataformas do O POVO. Participaram da entrevista os jornalistas Italo Coriolano, Adailma Mendes e Rachel Gomes.

Ex-secretário da Educação, Idilvan citou como exemplo o pacto celebrado para erradicar o analfabetismo no Estado, encabeçado pelo então deputado e hoje prefeito de Sobral, Ivo Gomes.

“Quero que a Assembleia, a Associação de Prefeitos e sindicatos de professores fiquem junto comigo nesse pacto. O Ceará é uma referência na educação, temos desafios, mas bons resultados”, afirmou.

Segundo o prefeiturável, “o déficit de aprendizagem neste ano foi enorme, com mais de um semestre de aula parada” e perdas estimadas em R$ 30 bilhões em investimentos para o setor.

Sobre o cenário atual, o pedetista respondeu ainda que “os professores estão se virando para passar conteúdo para os estudantes” e que a pandemia acentuou a “exclusão digital”.

Um dos potenciais candidatos do PDT à sucessão do prefeito Roberto Cláudio, Idilvan negou a escolha do postulante da legenda seja individual.

“Não vai ser a escolha do A, do B ou do C. É uma série de debates, um processo novo e rico”, avaliou, referindo-se aos encontros que o PDT vem realizando para definir o nome da sigla para a disputa eleitoral de 2020.

“Tem pesquisa qualitativa, as pessoas estão assistindo e observando as propostas. Não estou nesse processo achando que vou ser o preferido do Ciro, do Cid ou do Roberto Cláudio. Até porque quem vota é a população. Se fosse o preferido de X, Y ou Z, não precisava de debate, era só tirar do bolso e indicar”, enfatizou.

Questionado por um ouvinte se, caso eleito, teria conduta semelhante à que tem como deputado ou se mudaria, Idilvan relatou: “Eu trato professor com muito apreço. Enquanto deputado, fui autor do destaque que reduziu em três anos o tempo de aposentadoria de professor e professora de todo o Brasil”.

Em seguida, disse que “em Fortaleza temos problema na educação e que RC avançou muito, mas não tem vaga em creche para todas as crianças. Passou de 10 mil para 20 mil vagas, mas tem 70 mil estudantes sem vagas”.

O prefeiturável sublinhou sua atuação para a aprovação do Fundo de Desenvolvimento e Manutenção da Educação Básica (Fundeb). “Agora recentemente fiz uma luta grande para aprovar o Fundeb, com R$ 76 bilhões a mais para a educação. Se tiver oportunidade de ser prefeito, aí é que tenho de me dedicar mais ao professor. Até porque fui eleito por professor”.

A respeito da postura do Governo Federal no combate à pandemia, o deputado foi incisivo: “A gente não pode ficar em cima do muro. Um presidente que defende ditadura e diz que pandemia é gripezinha, que não é coveiro. Não podemos aceitar. É um presidente que é contra a democracia, vai pra manifestação defender a ditadura”.

E concluiu: “A gente está vendo o Brasil indo pra trás. É o que a gente tem que ter cuidado com Fortaleza. O Brasil não discute mais pauta de futuro. A gente tem que ter cuidado pra que não apareçam essas coisas loucas e pensamentos divergentes do mundo inteiro”.

Idilvan foi o sétimo entrevistado entre pré-candidatos à Prefeitura. Já passaram pela bancada Anízio Melo (PCdoB), Carlos Matos (PSDB), Célio Studart (PV), Ferruccio Feitosa (PDT), Heitor Férrer (SD) e Heitor Freire (PSL).

O convidado desta quarta-feira, 12, é o deputado estadual José Sarto, também do PDT. O programa começa às 9h05min, com duração de 20 minutos. Todas as entrevistas anteriores podem ser vistas na página da Rádio O POVO CBN nas redes sociais.

TAGS