PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Com problemas de saúde, Germann deixa Secretaria de Saúde de SP

Segundo Doria, o ex-secretário vai agora assumir um cargo de assessor especial, dando expediente no Palácio dos Bandeirantes

13:57 | 21/07/2020
O governador do Estado de São Paulo, João Doria, e Secretário da Saúde, José Henrique Germann, participam de Coletiva de Imprensa no Palácio dos Bandeirantes. (Foto: Divulgação/Diogo Moreira/Governo de São Paulo)
O governador do Estado de São Paulo, João Doria, e Secretário da Saúde, José Henrique Germann, participam de Coletiva de Imprensa no Palácio dos Bandeirantes. (Foto: Divulgação/Diogo Moreira/Governo de São Paulo)

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou nessa terça-feira, 21, que o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, decidiu deixar o cargo por problemas de saúde. Ele será substituído pelo médico infectologista Jean Gorinchteyn, que atua nos hospitais Emilio Ribas e Albert Einstein.

Com problemas no coração e se recuperando em casa, Germann já não estava participando das coletivas realizadas diariamente no Palácio dos Bandeirantes [sede do governo] há alguns dias. Ele estava no governo paulista desde o início do mandato de Doria, em janeiro de 2019.

"Pequenos sustos podem significar grandes alertas. No último dia 3 [de julho], de madrugada, dei entrada no Hospital Albert Einstein, sendo submetido a diversos exames, inclusive de cateterismo cardíaco. Ao final, a recomendação médica foi diminuir as atividades inerentes às funções executivas", disse Germann.

Segundo Doria, o ex-secretário vai agora assumir um cargo de assessor especial, dando expediente no Palácio dos Bandeirantes.

"Com muito orgulho assumo essa pasta", disse Jean Gorinchteyn, em entrevista hoje, 21, no Palácio dos Bandeirantes, ressaltando que, sob seu nome, as ações da pasta continuarão sendo feitas da mesma forma, em continuidade ao que já vinha sendo realizado. "A pasta continua igual. O Plano São Paulo vai se perpetuar. Em time que se ganha, não se mexe", afirmou. "Neste momento existe uma coisa chamada continuidade. Não troca. Estamos progredindo, de forma faseada, fazendo com que São Paulo volte a ter esse 'novo normal', de forma gradual, mas sempre lembrando da segurança", acrescentou.