PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Maioria dos brasileiros considera Bolsonaro pouco inteligente, aponta Datafolha

A pesquisa foi feita nos dias 23 e 24 de junho e ouviu 2.016 pessoas de todo o País por telefone

13:57 | 26/06/2020

A maioria da população considera o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pouco inteligente e tem avaliação negativa sobre outros traços pessoais dele. É o que mostra nova pesquisa do Datafolha, divulgada nesta sexta-feira, 26, pelo jornal Folha de S. Paulo. De acordo com os dados, colhidos nos dias 23 e 24 de junho, 54% dos entrevistados dizem que ele é "pouco inteligente", enquanto 40% o consideram "muito inteligente". Não souberam responder 6%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O Datafolha ouviu 2.016 pessoas de todo o País por telefone, modalidade que evita o contato pessoal entre pesquisadores e entrevistados e exige questionários mais rápidos.

Os números mostram uma mudança das taxas em relação à ocasião anterior em que essa pergunta foi feita, em abril do ano passado, quando o presidente estava apenas em seu quarto mês de mandato. Naquela oportunidade, 58% disseram achar o presidente muito inteligente, ante 39% com avaliação oposta.

A percepção sobre a inteligência do ocupante da Presidência pelo eleitorado foi pesquisada em mandatos anteriores pelo instituto. Os outros dois presidentes eleitos antes de Bolsonaro, os petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, não tiveram maioria questionando sua inteligência.

A porcentagem dos que avaliavam Lula como muito inteligente esteve entre 52% e 69% em pesquisas feitas de 2003 a 2006. Em relação a Dilma, o índice de quem a considerava muito inteligente variou de 66% a 85% de 2011 a 2015.

LEIA TAMBÉM | Bolsonaro aciona comporta para água da transposição do São Francisco chegar ao Ceará 

Após a publicação da pesquisa feita em abril do ano passado, Bolsonaro ironizou o questionamento sobre a percepção da inteligência pelo eleitorado e a comparação com os resultados obtidos pelos petistas. "Kkkkkkkk", escreveu ele em rede social.

A má avaliação de Bolsonaro nesse quesito piora ainda mais em alguns recortes da população que se mostram refratários à figura do presidente. Um dos destaques é a visão crítica a ele dos jovens de 16 a 24 anos: 67% o veem como pouco inteligente. Entre eleitores com curso superior, grupo hoje distante do presidente, embora o avaliasse bem antigamente, 61% desconfiam da inteligência do mandatário.

No outro campo, a imagem presidencial é bem vista nesse item entre eleitores do Sul do País, que desde a época da campanha eleitoral constituem uma das bases do bolsonarismo. Na região, 48% o veem como muito inteligente, dado que cai para 35% entre entrevistados do Nordeste.

A taxa pró-Bolsonaro vai a 65% ao se levar em conta apenas entrevistados que afirmam que estão "vivendo normalmente" durante a pandemia da Covid-19, sem evitar sair de casa nem se isolar.

A pesquisa do Datafolha mostrou ainda que o presidente permanece com avaliação positiva de cerca de um terço do eleitorado. Consideram o governo ótimo ou bom 32% dos entrevistados, ao passo que 44% acham que ele é ruim ou péssimo. A tendência desde o ano passado é de um aumento da rejeição. 

Preparo, competência e honestidade

Na mesma pesquisa desta semana, o Datafolha também questionou os entrevistados sobre outros traços pessoais de Bolsonaro. Nas oito perguntas dessa série, a avaliação negativa foi preponderante.

A maioria considera o presidente despreparado para o cargo (58%), autoritário (64%), incompetente (52%) e indeciso (53%). Para 58%, ele respeita mais os ricos, enquanto 18% que acham que Bolsonaro respeita mais os pobres.

A favor de Bolsonaro, está a imagem de honestidade. Para 48%, ele é honesto, outros 40% o consideram desonesto. Em relação à sinceridade, há empate técnico: 48% o consideram sincero, enquanto 46% entendem que ele é falso.