PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Apoiadores de Bolsonaro mudam local de ato após fechamento da Esplanada; veja fotos da manifestação

A manifestação é a favor do governo Bolsonaro e em defesa de medidas inconstitucionais, como os fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF) e uma intervenção militar

17:26 | 14/06/2020
Manifestação de apoiadores do presidente Bolsonaro, em Brasília, neste domingo, 14 de junho, mesmo com decreto do governador Ibaneis Rocha proibindo os atos na região próxima ao Palácio (Foto: SÉRGIO LIMA/AFP)
Manifestação de apoiadores do presidente Bolsonaro, em Brasília, neste domingo, 14 de junho, mesmo com decreto do governador Ibaneis Rocha proibindo os atos na região próxima ao Palácio (Foto: SÉRGIO LIMA/AFP)

Após fechamento da Esplanada, um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) protestam neste domingo, 14, na área central de Brasília. Grupos se reuniram no Setor Militar Urbano e na Praça do Buriti, em frente à sede do governo do Distrito Federal.

Ainda pela manhã, os participantes tentaram se reunir na Praça dos Três Poderes, contrariando o decreto do governador Ibaneis Rocha (MDB), válido até a meia-noite deste domingo, que fechou a Esplanada dos Ministérios para evitar aglomerações e atos antidemocráticos. No entanto, mudaram o local por conta das restrições de acesso.

A manifestação é a favor do governo Bolsonaro e em defesa de medidas inconstitucionais, como o fechamento do Congresso, o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e uma intervenção militar.

A maior parte dos apoiadores se vestiu de verde e amarelo, carregando bandeiras do Brasil e faixas com dizeres contra o STF, como "o golpe já foi dado, a responsabilidade é colegiada", e "STF é uma vergonha).

A concentração no Setor Militar Urbano ocorreu pela manhã, próximo à Base Administrativa do Quartel-General do Exército. Por volta das 13 horas, o grupo começou a se dispersar. Já na Praça do Buriti, manifestantes continuaram o protesto nesta tarde, com aglomeração de militantes. Usando uma caixa de som, eles dirigiram críticas ao governador Ibaneis durante o ato.

Segundo a Polícia Militar do DF informou ao portal G1, não houve necessidade de bloqueio de trânsito e a manifestação é considerada pacífica. Na noite de sábado, governador de Brasília decretou o fechamento da Esplanada dos Ministérios da meia-noite até as 23h59min deste domingo. No texto, o chefe do Executivo local cita "ameaças declaradas por alguns manifestantes" e a "demanda urgente" de "contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública".

O texto prevê que manifestações poderão ser realizadas, "desde que comunicadas com antecedência e devidamente autorizadas pelo Secretário de Segurança do Distrito Federal".

Desmonte de acampamentos

Grupos acampados na Esplanada dos Ministérios desde 1º de maio foram retirados do local entre a última sexta, 12, e sábado, 13, em operação da SSP e DF Legal, com apoio da Polícia Militar.

Em nota conjunta, as pastas informaram que os acampamentos foram desmobilizados após "diversas tentativas de negociação para a desocupação da área". As pastas afirmam que "os manifestantes ocupavam área pública, o que não é permitido" além de descumprir decreto que impede aglomerações.

Ainda no sábado, integrantes do acampamento denominado '300 do Brasil', tentaram invadir o Congresso Nacional, em reação à operação que determinou a saída dos militantes do espaço público. Nas redes sociais, integrantes anunciavam resistência contra a medida do GDF.

O decreto publicado neste sábado faz menção a "aglomerações verificadas nos últimos dias na Esplanada dos Ministérios, que contrariam as medidas sanitárias de combate ao novo coronavírus". A área, que concentra os prédios públicos dos Três Poderes, recebeu, nas últimas semanas, manifestações favoráveis e contrárias ao governo de Bolsonaro.