PUBLICIDADE
Política
Noticia

"É o desejo de muitos, inclusive o meu", diz Eunício sobre candidatura do MDB à Prefeitura de Fortaleza

Ex-presidente do Senado também afirma que MDB está aberto ao diálogo com siglas de diferentes campos ideológicos por "não ter preconceito"

Carlos Holanda
20:20 | 04/06/2020
Eunício Oliveira diz que MDB terá candidato a prefeito de Fortaleza (Foto: MARCELLO_CASALJR)
Eunício Oliveira diz que MDB terá candidato a prefeito de Fortaleza (Foto: MARCELLO_CASALJR)

O hoje presidente do MDB Ceará e vogal na executiva nacional do partido, Eunício Oliveira, afirmou que a legenda não fechou ainda compromisso com nenhuma outra. Revelou haver sentimento forte no partido pela candidatura própria. Segundo diz, o partido ainda aprofundará discussões internas a respeito da disputa. Eunício adianta, contudo, que há o "desejo de muitos, inclusive o meu" pela candidatura própria emedebista.

"O MDB sempre que governou Fortaleza governou com muita competência. Era a célebre frase do Juraci (1990-1993 e 1997-2005): 'Se você quiser ver obras do adversário, ligue a televisão, se quer ver obras do MDB, abra a janela.' Era a prática do MDB no governo, com o Juraci e com Cambraia (1993-1997)", defendeu Eunício.

E complementou: "O MDB tem todas as discussões de fazer disputa eleitoral com candidatura própria." O cearense foi esquivo ao falar sobre a possibilidade de ser ele o postulante ao Executivo municipal, somente destacando ser cedo para tratar de nomes.

Sobre as agremiações que estão na esfera de diálogo dos emedebistas, ele respondeu que "um partido de centro não tem preconceito". O único horror do MDB, ele disse, é à ditadura. O PT de Lula, amigo dele, além de desafeto de Ciro (por sua vez adversário de Eunício), terá a candidatura da deputada federal Luizianne Lins, que geriu a cidade entre 2004 e 2011.

O Pros será representado pelo também deputado federal Capitão Wagner. O policial recebeu apoio de Eunício em 2016 (assim como o do tucano Tasso), quando avançou ao segundo turno contra Roberto Cláudio (PDT), que terminaria reeleito.

Se chegar a algum entendimento eleitoral com outro partido, prosseguiu o ex-presidente do Senado, o MDB não fará como "eles que fizeram e traíram." "Todo mundo sabe disso, da traição que aconteceu no estado do Ceará nessas últimas eleições de 2018", se ressentiu o ex-ministro.

Eunício se refere especificamente ao que entende como abandono do prefeito Roberto Cláudio (PDT) à sua reeleição dois anos atrás. Via Cid Gomes (PDT), Roberto Cláudio e Camilo Santana (PT), o emedebista havia costurado aliança informal com o grupo político da família Ferreira Gomes. Ele perdeu para Eduardo Girão (Podemos) por 11.993 votos. "Faço a ressalva de que o governador Camilo sempre foi muito correto nas suas palavras."