PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Folha e Globo retiram jornalistas do Palácio da Alvorada por falta de segurança

Os veículos anunciaram nesta segunda-feira, 25, a suspensão do envio de jornalistas ao local por temerem atitudes agressivas dos apoiadores de Bolsonaro

Alan Magno
23:12 | 25/05/2020
O presidente brasileiro Jair Bolsonaro fala à imprensa quando sai do Palácio da Alvorada para o Palácio do Planalto, em Brasília (Foto: EVARISTO SA / AFP)
O presidente brasileiro Jair Bolsonaro fala à imprensa quando sai do Palácio da Alvorada para o Palácio do Planalto, em Brasília (Foto: EVARISTO SA / AFP)

O jornal Folha de S. Paulo e o grupo Globo anunciaram nesta segunda-feira, 25, a suspensão do envio de jornalistas para o Palácio da Alvorada para cobrir os pronunciamentos diários do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). A medida foi tomada devido à falta de segurança para os profissionais da imprensa diante das contínuas e crescentes atitudes agressivas dos apoiadores de Bolsonaro. Hoje, um grupo no local atacou os jornalistas presentes. “Mídia lixo", "comunistas" e "safados" foram alguns dos insultos ditos pelos apoiadores que, por diversas vezes, avançaram em direção ao espaço reservado à imprensa, ameaçando os jornalistas.

“São muitos os insultos e os apupos que os nossos profissionais vêm sofrendo dia a dia por parte dos militantes que ali se encontram, sem qualquer segurança para o trabalho jornalístico”, afirmou O Globo em carta endereçada ao ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. O documento busca indagar o governo a tomar providências cabíveis diante da situação e destacar que, apesar da retirada dos profissionais do local, a cobertura jornalística das declarações de Bolsonaro será mantida.

A Folha pontuou que somente retomará as atividades no local “depois das garantias de segurança aos profissionais por parte do Palácio do Planalto”. O veículo também garantiu que continuará apurando e investigando as declarações diárias do presidente.

Assim como os outros dois veículos, o jornal Correio Braziliense retirou os jornalistas do local há um mês pelo mesmo motivo. Há relatos de profissionais de outros veículos de comunicação que supõem que mais entidades da imprensa brasileira estão debatendo sobre a retirada das equipes de jornalismo do Alvorada por questões de segurança. “Essas agressões vem crescendo”, frisou O Globo na carta enviada ao governo.

Incentivo de Bolsonaro

Agressões aos jornalistas têm se tornado rotineira no governo Bolsonaro. O próprio presidente é envolto em uma série de episódios polêmicos de agressões e acusações contra à imprensa. Ele foi apontado como responsável por 58% das agressões contra jornalistas registradas em 2019, de acordo com levantamento da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)

Nesta segunda, 25, pouco  antes do episódio de violência que culminou na decisão de retirada dos jornalistas do local por parte dos veículos de comunicação, Bolsonaro fez novas críticas à imprensa. “No dia que vocês tiverem compromisso com a verdade, eu falo com vocês de novo”, afirmou o presidente. Após a declaração, o grupo bolsonarista no local reagiu contra os jornalistas.