PUBLICIDADE
Política
Noticia

Deputados do Ceará a favor de reduzir os próprios salários para auxiliar no combate ao coronavírus

Nos últimos dias, os presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Sarto, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, defenderam a redução salarial da categoria

19:05 | 31/03/2020
DEPUTADOS se reuniram ontem na AL-CE para definir tramitação da PEC enviada pelo Governo do Estado
DEPUTADOS se reuniram ontem na AL-CE para definir tramitação da PEC enviada pelo Governo do Estado (Foto: Beatriz Boblitz)

Deputados estaduais e federais do Ceará cearenses são favoráveis à redução dos próprios salários para auxiliar no enfrentamento ao novo coronavírus. A pauta foge de questões partidárias e os políticos discutem diariamente como amenizar os efeitos da doença, que deve custar bilhões aos cofres públicos nos próximos meses. Nos últimos dias, os presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, José Sarto (PDT), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defenderam a redução do salário de parlamentares.

O POVO conversou com alguns parlamentares estaduais e federais cearenses para discutir como essas medidas podem ser viabilizadas.

A deputada estadual Fernanda Pessoa (PSDB) defende que haja projeto concreto para a destinação de parte dos salários. “Eu topo na hora, mas temos que saber como esse recurso vai chegar na ponta, para quem precisa. O salário poderia ser convertido através de cesta básicas e suprimentos, por exemplo. Tem que ser construído coletivamente”, disse. Posicionamento é endossado pelo deputado Leonardo Araújo (MDB), que complementou sugerindo que os outros poderes (Executivo e Judiciário) comecem a debater a questão para direcionar recursos à luta contra o novo coronavírus no Ceará.

O deputado estadual Heitor Ferrer (SD) defende a redução como forma de dar o exemplo à sociedade, para que grandes empresários e demais categorias possam sentir-se motivados. “Acho que a obrigação de quem tem o privilégio de ser deputado, desembargador ou empresário é socorrer as pessoas que precisam num momento como este”, diz, alertando que, apesar da boa intenção, só a redução salarial não resolve. “O valor dos salários não é tão significativo, mas ameniza questões imediatas. Poderíamos pegar esse dinheiro e associá-lo a políticas de compra de cestas básicas. As pessoas estão batalhando todos os dias para comprar alimentos”, conclui.

“Apoio a redução salarial não apenas dos parlamentares, mas de todos os poderes, que seja no Executivo, no Judiciário e no Parlamento. Os recursos devem ser concentrados para aliviar o sistema de saúde”, sugere o deputado federal Denis Bezerra (PSB). Medidas também sugeridas por Heitor Freire (PSL), que defende que todos os atores políticos — incluindo ministros e secretários, além de membros do Judiciário — renunciem a parte das suas remunerações para ajudar neste momento.

José Guimarães (PT) defendeu a redução nos três poderes. No entanto, acredita que essa não seja a solução do problema. “Temos que acabar com a PEC do Teto e colocar todas as emendas para enfrentamento ao coronavírus. Não temos como combater a doença sem gastar dinheiro”, disse, sugerindo que as emendas de relator, no valor de R$ 15 bilhões, sejam repassadas para a causa.

O deputado federal Capitão Wagner (Pros), afirmou que “se for colocado em votação (a redução salarial dos parlamentares), votarei favorável”. Assim como os colegas, Idilvan Alencar (PDT) prega que os políticos precisam tomar todas as atitudes possíveis. “É óbvio que a redução de salário não vai resolver um problema que vai superar os R$ 500 bilhões em gastos, mas o Brasil está precisando de lideranças que deem o exemplo e, com isso, tenham legitimidade para contribuir com as soluções”, disse.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >