PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

PT se manifesta sobre motins: "manipulação política da situação por parte do Governo Federal de extrema-direita"

Partido dos Trabalhadores publicou nota na noite da segunda, 2, e exaltou condução do governador do Ceará, Camilo Santana

Gabriela Feitosa
21:31 | 03/03/2020
Policiais militares fizeram 13 dias de paralisação
Policiais militares fizeram 13 dias de paralisação (Foto: AURELIO ALVES)

Após encerramento da paralisação de policiais militares do Ceará, que estavam amotinados desde o dia 19 de fevereiro, o Partido dos Trabalhadores (PT) divulgou uma nota em seu site, em que celebra o fim e exalta condução do atual governador do Estado, Camilo Santana (PT), e critica o Governo Federal. O texto saiu na noite da última segunda, 2.

"O Partido dos Trabalhadores cumprimenta o governador Camilo Santana pela condução firme e democrática de uma solução para a recente crise na segurança pública do Ceará", inicia a nota. Segundo partido, as reivindicações salariais foram respondidas dentro da realidade orçamentária do Estado. A proposta que pôs fim ao motim não prevê anistia a PMs que tenham cometido crime.

> Sem anistia, amotinados aceitam acordo e voltam às ruas

Ainda na nota, o PT disse que o governo estadual não "cedeu às pressões violentas e ilegítimas dos que atentaram contra a lei, a disciplina e a segurança do povo cearense" e que a recusa da anistia sinaliza os limites entre o Estado Democrático de Direito "e os que tentam se impor pela violência e ameaçam, primeiramente, os desprotegidos".

No texto, o grupo disse denunciar uma manipulação política da situação por parte do "governo federal de extrema-direita". "Além de faltar mais uma vez com a verdade, Jair Bolsonaro, Sergio Moro e o comandante da Força Nacional, coronel Aginaldo Oliveira, apoiaram e estimularam os amotinados, de forma ostensiva e irresponsável, comprovando que não estão à altura do Brasil e da democracia", encerrou. 

Diante do motim dos policiais militares no Ceará, Camilo Santana chegou a formalizar ao presidente da República, Jair Bolsonaro, o pedido para uso de tropas das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Na manhã do dia 20 de fevereiro, cerca de 300 homens da Força Nacional, tropa federal formada por agentes especiais das polícias militares, chegou a Fortaleza para atuar na proteção das ruas.

> Leia aqui o acordo completo que encerrou o motim