PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Joice Hasselmann diz que Eduardo Bolsonaro está envolvido em ataques virtuais contra opositores do Governo

A declaração da deputada foi dada à CPI das Fake News. Ela foi convidada a prestar depoimento na comissão de inquérito e realizou uma apresentação antes de ser questionada pela comissão

09:53 | 05/12/2019
Joice Hasselmann
Joice Hasselmann (Foto: Deísa Garcêz/Especial para O POVO)

Deputada Federal pelo PSL de São Paulo, Joice Hasselmann afirmou que Eduardo Bolsonaro (PSL) é um dos coordenadores de um grupo de apoiadores que financiam ataques virtuais aos adversários do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração da deputada foi dada à CPI das Fake News, na tarde dessa quarta-feira, 4. As informações são do jornal O Globo.

Ela foi convidada a prestar depoimento na comissão de inquérito e realizou uma apresentação - antes de ser questionada -, com informações colhidas por meio da ferramenta Botometer analisando as redes sociais de Eduardo e Jair Bolsonaro.

Criada pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, a análise da ferramenta foi encomendada pela própria deputada. Segundo Joice, esse estudo só foi pedido após ela ter sido alvo de "ataques coordenados na internet".

"O que vou mostrar aqui é fruto de uma investigação que comecei a fazer com muito mais intensidade depois que eu virei alvo de ataques. Inclusive, os laudos apresentados são assinados por um perito renomado", afirmou a deputada.

Joice exibiu mensagens no relatório onde há conversas em um grupo chamado "Secreto2 G.O" numa rede social. De acordo com o estudo, integrantes coordenavam a criação e propagação de "fake news" nas redes sociais contra opositores do governo Jair Bolsonaro.

Ainda conforme a análise, Eduardo e Jair possuem mais de 1,8 milhões de seguidores robôs, usados para impulsionar mensagens de cunho difamatório contra desafetos do presidente e de sua família. O grupo chamado de "gabinete do ódio" é formado por assessores do Palácio do Planalto supostamente ligado a família Bolsonaro. 

As postagens são coordenadas e possuem programações em dia e hora por meio de um agendamento. "Vocês vão ver prints das conversas desses grupos. As instruções são passadas, principalmente, pelo Eduardo e assessores ligados a ele. O Carlos também teve muita atividade, mas agora ele está mais com o freio de mão puxado", apontou Joice.