PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro ataca jornal após denúncia de que teria teria usado dinheiro de caixa 2 na campanha

"A Folha avançou a todos os limites, transformou-se num panfleto ordinário às causas dos canalhas. Com mentiras, já habituais, conseguiram descer às profundezas do esgoto", criticou

22:55 | 06/10/2019
Publicação do presidente ataca a Folha de S. Paulo
Publicação do presidente ataca a Folha de S. Paulo(Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) atacou o jornal Folha de S. Paulo após reportagem revelar suspeitas de que o chefe do Executivo nacional teria se beneficiando com dinheiro de caixa 2 durante a campanha do ano passado. "A Folha avançou a todos os limites, transformou-se num panfleto ordinário às causas dos canalhas. Com mentiras, já habituais, conseguiram descer às profundezas do esgoto", criticou. 

A reportagem divulgada neste domingo, 6, mostrou que depoimento concedido à Polícia Federal e a descoberta de uma planinha apreendida em uma gráfica levantam suspeitas de que o dinheiro do esquema de candidatas laranjas do PSL em Minas Gerais foi desviado para abastecer, através de caixa dois, as campanhas eleitorais do presidente Jair Bolsonaro e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, ambos filiados ao partido.

Ex-assessor e planilha apreendida implicam Bolsonaro e ministro do Turismo em caixa 2; Moro defende presidente

As revelações foram feitas pelo ex-assessor parlamentar e coordenador da campanha de Álvaro Antônio à época, Haissander Souza de Paula. Em depoimento, ele disse à PF que "acha que parte dos valores depositados para as campanhas femininas, na verdade, foi usada para pagar material de campanha de Marcelo Álvaro Antônio e de Jair Bolsonaro". 

Os investigadores também tiveram acesso a uma planilha nomeada como "MarceloAlvaro.xlsx". No arquivo havia referência sobre o fornecimento de material eleitoral para a campanha de Bolsonaro com a expressão "out", o que, na compreensão dos investigadores, significa "pagamento por fora". Álvaro Antônio foi indiciado pela PF na última sexta-feira, 4, e denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais sob acusação dos crimes de falsidade ideológica eleitoral, apropriação indébita de recurso eleitoral e associação criminosa. Ele nega irregularidades.

Moro defende Bolsonaro 

Mais cedo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, (MJSP), Sergio Moro, saiu em defesa do presidente.  juiz publicou em sua conta no Twitter, na manhã deste domingo, 6, que "nem o delegado, nem o Ministério Público, que atuam com independência, viram algo contra o PR neste inquérito de Minas".