PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Procurador pede retratação de Mendes por 'acusações descabidas e temerárias'

13:18 | 02/10/2019
O procurador Almir Teubl Sanches, da força-tarefa da Lava Jato no Rio, cobrou na manhã desta quarta-feira, 2, uma retratação por parte do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em fevereiro, quando soube que havia um dossiê da Receita Federal sobre ele, o magistrado tentou ligar Marco Aurélio Silva Canal, auditor fiscal preso nesta manhã pela Polícia Federal, à força-tarefa da operação.
"Agora que há um novo fato de conhecimento público, espera-se que haja alguma espécie de retratação sobre essas acusações que foram feitas. Na época, não tínhamos como nos defender, porque a investigação estava em caráter sigiloso", disse o procurador. A força-tarefa já investigava Canal àquela altura.
Almir Sanches Teubl classificou as declarações como descabidas e até temerárias. "Ele chegou a citar em algumas entrevistas, fazer algumas insinuações. Por um lado, temos que pesar também que ele não tinha informação dessa investigação que estava acontecendo e pode ter se sentido vítima de uma violação", ponderou o procurador. "Por outro lado, foram acusações muito graves que não tinham nenhum fato objetivo que pudesse levar a acreditar nisso."
Em coletiva na manhã desta quarta-feira na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, os procuradores fizeram questão de destacar inúmeras vezes que Canal não tinha relação com a força-tarefa. Ele atuava numa etapa seguinte à investigativa.