PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Bolsonaro anuncia revogação de status de refugiado de três paraguaios suspeitos de sequestro

Os homens são suspeitos de participação no sequestro da esposa de um empresário em 2001

15:52 | 23/07/2019
O presidente Jair Bolsonaro e presidente da República do Paraguai, Senhor Mario Abdo Benítez
O presidente Jair Bolsonaro e presidente da República do Paraguai, Senhor Mario Abdo Benítez(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro anunciou pelo Twitter, na manhã desta terça-feira, 23, que foi revogado o status de refugiado de três paraguaios. Os homens são suspeitos de participação no sequestro da esposa de um empresário em 2001.

Conforme informações da AFP, Juan Arrom, Anúncio Martí e Víctor Colman fugiram para o Brasil em 2003, declarando-se políticos perseguidos. Os três são suspeitos do sequestro de Maria Edith de Debenardi, esposa do empresário Antonio Debenardi e nora do primeiro presidente da Itaipu Binacional, Enzo Debenardi.

Arrom e Martí eram líderes do movimento político de esquerda Pátria Livre, de onde teria se originado um braço armado chamado Exército do Povo Paraguaio (EPP), conforme autoridades paraguaias.

O ministro da Justiça, Sergio Moro, também comentou a decisão, afirmando que o País não será mais "refúgio para estrangeiros acusados ou condenados por crimes comuns". O tuíte de Moro respondia a uma mensagem publicada por Mario Abdo, presidente do Paraguai. "Chegou a hora de eles darem conta de suas ações perante a justiça paraguaia", colocou Abdo.

O Brasil não será mais refúgio para estrangeiros acusados ou condenados por crimes comuns (no caso, extorsão mediante sequestro), seja de Battisti, Arrom, Martí ou de outros. A nova postura é de cooperação internacional e respeito a tratados. Aqui não é terra sem lei. https://t.co/Ky5ngIx7Cy

Redação O POVO Online