PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"O governo Bolsonaro vai bem porque está dando sequência ao meu", diz Temer

O ex-presidente afirmou que a aprovação da reforma da Previdência só foi possível porque ele mesmo fez um debate "intensíssimo" durante dois anos sobre o tema

14:34 | 22/07/2019
O ex-presidente Michel Temer comentou em uma entrevista a atual gestão do Planalto
O ex-presidente Michel Temer comentou em uma entrevista a atual gestão do Planalto(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

O ex-presidente Michel Temer comentou em uma entrevista a atual gestão do Planalto. Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro estaria dando "continuidade" ao seu programa, o que inclui a aprovação da reforma da Previdência e a proposta de uma reforma tributária. "O governo vai bem porque está dando sequência ao nosso governo", disse Temer. As informações são do UOL.

O emedebista classificou o próprio governo como "reformista". "Eu me recordo, quando presidente da República, eu dizia: olha, será bem sucedido o presidente que der sequência àquilo que estou fazendo'. Do jeito que as coisas vão indo, o governo vai bem porque está dando sequência ao nosso governo".

Para Temer, a aprovação da reforma da Previdência na Câmara só foi possível porque ele mesmo fez um debate "intensíssimo" durante dois anos sobre o tema. "Suponho que será aprovada em segundo turno, é importante, fundamental para o País. No passado, houve muita resistência, mas esta resistência foi vencida pela campanha que nós fizemos ao longo do tempo".

O ex-presidente ainda afirma que pode falar positivamento do governo de Bolsonaro pois este não saiu da linha pré-traçada do governo anterior.

Na entrevista, também foram tecidos elogios aos governos petistas. Temer afirmou que tem uma visão construtiva sobre as gestões do PT. "Eu digo com toda a franqueza: o governo Lula fez, digamos assim, que os mais pobres, que eram praticamente invisíveis, se tornassem visíveis - por meio do Bolsa Família, depois, com a presidente Dilma, com o Minha Casa Minha Vida. Que na verdade, são meros cumprimentos do que estabelece a Constituição Federal", disse.

Redação O POVO Online