PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Ação da deputada Patrícia Aguiar pela cassação do mandato de Audic Mota é improcedente, decide TRE

Ambos parlamentares disputam votos na região dos Inhamuns

21:53 | 22/07/2019
Ambos parlamentares disputam votos na região dos Inhamuns
Ambos parlamentares disputam votos na região dos Inhamuns (Foto: Reprodução / AL-CE )

Adversários políticos que disputam votos na região dos Inhamuns, os deputados Audic Mota (PSB) e Patrícia Aguiar (PSD) travaram mais uma batalha nesta segunda-feira, 22. Em sessão durante a tarde, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE) decidiu pela “improcedência” de ação movida pela parlamentar, que pedia a cassação de seu colega de Assembleia Legislativa (AL-CE).

Por unanimidade, o pedido movido por Patrícia foi arquivado, após seis juízes seguirem o voto do relator, desembargador Inácio de Alencar Cortez Neto.

“Justiça foi feita”, enfatizou o Audic Mota ao O POVO Online. Segundo ele, a ação era “claramente” por perseguição e “temerária”.

Reportagem aguarda posicionamento da deputada Patrícia Aguiar.

Disputa judicial

A disputa judicial entre os deputados Audic Mota e Patrícia Aguiar iniciou-se logo após os resultados das urnas serem conhecidos nas eleições do ano passado. Esposa do ex-conselheiro do extinto Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) Domingos Filho e mãe do deputado federal Domingos Neto (PSD), a deputada estadual acusou seu colega parlamentar de se beneficiar por meio de obras do prefeito de Tauá, Carlos Windson (PSB).

Ela apontou que, nas redes sociais, perfis ligados à Prefeitura de Tauá teriam realizado publicações relacionando Audic a obras no município – distante 337 quilômetros de Fortaleza. Para o Pleno do TRE-CE, por outro lado, o entendimento foi contrário.

Wanderson Trindade