PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Maia diz que Paulo Guedes é injusto e classifica governo Bolsonaro como "usina de crises"

Para Rodrigo Maia, a Câmara blindou o Congresso de crises diárias provocadas pelo governo Bolsonaro

17:52 | 14/06/2019
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Após críticas do ministro da Economia Paulo Guedes em relação às modificações na reforma da Previdência, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que as declarações foram injustas e classificou o governo como uma "usina de crises". As informações são da Folha de São Paulo.

Guedes afirmou que as alterações feitas pela comissão especial da Câmara tinham "acabado com a reforma da Previdência". "Se sair só R$ 860 bilhões de cortes, o relator está dizendo o seguinte: abortamos a Nova Previdência e gostamos mesmo da velha Previdência. Cedemos ao lobby dos servidores públicos, que eram os privilegiados", colocou o ministro da Economia.

Para Rodrigo Maia, a Câmara blindou o Congresso de crises diárias provocadas pelo governo. "Dessa vez infelizmente foi meu amigo Guedes. Quero saber por que o ministro Guedes assinou uma regra de transição mais flexível no projeto de reforma para os militares", disse o presidente da Câmara sobre as críticas nas mudanças na transição de servidores.

Maia também se disse triste pelas afirmações de Guedes em relação ao relatório apresentado e disse que o País pode entrar em uma nova fase em que o Parlamento terá mais liderança na aprovação de pautas. "Essa não é a reforma de Bolsonaro, é a reforma do Brasil". Rodrigo garantiu que o projeto será aprovado "apesar das confusões do governo.

Redação O POVO Online