PUBLICIDADE
Política
EDUCAÇÃO SUPERIOR

Deputados cearenses reagem à sabatina do ministro da Educação

Abraham Weintraub compareceu à Comissão Geral na Câmara dos Deputados para esclarecimentos

23:36 | 15/05/2019
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado para falar sobre bloqueio de recursos.
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado para falar sobre bloqueio de recursos.(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Após a audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, nesta quarta-feira, 15, deputados da bancada cearense se posicionaram com críticas aos cortes orçamentários previstos às universidades federais. A audiência com a Comissão Geral na Câmara dos Deputados aconteceu simultaneamente aos protestos em dezenas de cidades do País. 

Célio Studart (PV) destacou, em plenário, a falta de comunicação do governo e a inassertividade do ministro. “Suas respostas foram evasivas e, em muitos momentos, desrespeitosas. Mais de 80% dos nossos alunos (cearenses) não têm a família recebendo nem R$ 1.500 por mês e somente 24% têm alguma assistência estudantil. Saiba que a lágrima de cada estudante que deixar de estudar, o futuro perdido de cada estudante que tiver que largar a faculdade ou que não puder ingressar, estará nas suas mãos e nas mãos do seu governo”.

Domingos Neto (PSD), que é da base do governo, criticou os cortes nas redes sociais. “Um detalhe sintomático nessa crise da educação é a gente assistir a um ministro não querer recursos pro seu próprio ministério. Nunca vimos algo semelhante na história”, declarou.

+ Veja como votaram cearenses na convocação do ministro da Educação

O deputado federal Capitão Wagner (Pros), também da base, comentou sobre o caso à rádio O POVO CBN: “crise desnecessária na educação”. O político cearense se mostrou preocupado também com as informações desencontradas divulgadas pelo governo. Na noite dessa terça-feira, 14, um dia antes da manifestação de estudantes e professores, o governo anunciou que voltaria atrás nos cortes, o que foi desmentido pela Casa Civil momentos depois. 

“Ou o presidente toma a liderança dessa nação ou de fato vamos ter um problema grave de falta de condução neste País”, disse o deputado na noite de ontem na tribuna da Câmara. Depois que a líder do PSL no Congresso, Joice Hasselmann, afirmou que a decisão teria sido um boato, Capitão Wagner declarou que “quem criou o boato foi o governo”.

Cortes

Desde que assumiu a pasta, Weintraub congelou recursos tanto da educação básica quanto das universidades federais. Ao menos R$ 2,4 bilhões que estavam previstos para investimentos em programas da educação infantil ao ensino médio foram bloqueados. O ministro também declarou que haveria um corte de 30% no orçamento de universidades federais que promovessem “balbúrdia” e tivessem desempenho acadêmico abaixo do esperado.

O Povo