PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"O Exército não matou ninguém", diz Bolsonaro sobre morte de músico no Rio de Janeiro

"Uma perícia já foi pedida pra que se tenha certeza do que realmente aconteceu naquele momento e o exército, na pessoa de seu comandante, vai se pronunciar sobre este assunto e se for o caso eu me pronuncio também. Nós vamos assumir a nossa responsabilidade", disse o presidente

14:58 | 12/04/2019
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro(Foto: Brendan Smialowski / AFP)

Durante a inauguração do aeroporto de Macapá nesta sexta-feira, 12, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) falou sobre a morte de um homem no Rio de Janeiro, quando o veículo em que ele estava foi atingido por mais de 80 disparos de uma guarnição do Exército. "O Exército não matou ninguém, não. O Exército é do povo e não pode acusar o povo de ser assassino, não. Houve um incidente, uma morte.", disse o presidente. As informações são do G1.

O músico Evaldo Rosa dos Santos, 51, estava dirigindo o carro quando foi morto. Ele, a esposa, o filho de 7 anos de idade, o sogro e uma amiga da família estavam a caminho de um chá de bebê quando aconteceram os disparos. O sogro dele e um pedestre também foram atingidos.

O presidente ainda lamentou o ocorrido: "Lamentamos a morte do cidadão trabalhador, honesto e está sendo apurada a responsabilidade, e no Exército sempre tem um responsável. Não existe essa de jogar para debaixo do tapete. Vai aparecer o responsável".

"Uma perícia já foi pedida pra que se tenha certeza do que realmente aconteceu naquele momento e o exército, na pessoa de seu comandante, vai se pronunciar sobre este assunto e se for o caso eu me pronuncio também. Nós vamos assumir a nossa responsabilidade e mostrar o que realmente aconteceu para a população brasileira", afirmou Bolsonaro.

Redação O POVO Online