PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

"Queremos uma garotada que comece a não se interessar por política", diz Bolsonaro

A declaração foi dada durante a posse do novo ministro da Educação, Abraham Weintraub

23:08 | 10/04/2019
 O presidente Jair Bolsonaro empossou Abraham Weintraub no MEC, ontem, no Palácio do Planalto.
 O presidente Jair Bolsonaro empossou Abraham Weintraub no MEC, ontem, no Palácio do Planalto.(Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Durante a posse de Abraham Weintraub, novo ministro da Educação, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que um dos objetivos do MEC é desestimular o interesse dos aluno por política dentro das escolas. "Queremos uma garotada que comece a não se interessar por política, como é atualmente dentro das escolas, mas comece a aprender coisas que possam levá-las ao Espaço no futuro", disse. As informações são do Estadão.

Bolsonaro também indicou que é necessário buscar a "inflexão" na área da educação, além de melhorar os índices educacionais até o ano de 2022, final de seu mandato.

"Queremos uma garotada que não esteja ocupando os últimos lugares no Pisa. Queremos que não mais 70% dessa garotada não saiba fazer uma regra de três simples, não saiba interpretar textos, não saiba perguntas básicas de ciências. Nós queremos uma garotada que comece a não se interessar por política, como é atualmente dentro das escolas, mas comece realmente a aprender coisas que possam levar, quem sabe, ao espaço no futuro", completou.

Bolsonaro se referiu ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), prova realizada a cada três anos. A avaliação mais recente foi realizada no final de 2016 e registrou um queda do rendimento do Brasil nas áreas avaliadas (63º em ciências, 59º em leitura e 66º em matemática).

Ainda em seu discurso, o presidente ratificou a importância que seu governo dá ao "social", colocando a educação como um ponto importante na melhoria da vida das pessoas. "Tanto é que estamos concedendo 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família. (...) O que tira um homem e uma mulher de um situação crítica financeira é o conhecimento. Por isso este ministério é importante, como os demais".

Bolsonaro disse esperar que o ministério da educação consiga que os jovens sejam melhores do que seus pais e avós. "Sei que não lhe faltará empenho, dedicação, patriotismo e entrega para atingir objetivos", afirmou a Weintraub.

Redação O POVO Online