PUBLICIDADE
Política
NOTÍCIA

Deputado do PSL assume ser gay um dia após afirmar que tiraria transexual do banheiro a tapas

Garcia afirmou que a sexualidade não irá interferir na bandeira que defende "contra a ideologia de gênero". O anúncio foi feito por Janaina Paschoal

19:37 | 05/04/2019
(Foto: Reprodução/Instagram)

Douglas Garcia (PSL), deputado estadual de São Paulo, assumiu ser gay nesta sexta-feira, 5. O anúncio aconteceu durante sessão na Assembléia Legislativa, e foi feito por Janaina Paschoal (PSL), deputada estadual pelo mesmo partido. “Ele tomou uma decisão, e como ele está um pouco abalado, pediu para eu fazer essa comunicação por ele. Porque hoje, depois de 25 anos, ele conseguiu conversar com os pais e dizer que é homossexual”, afirmou Janaina Paschoal ao fazer o anúncio da sexualidade do colega.

De acordo com Garcia ao O Globo, a decisão de fazer o anúncio aconteceu após receber ameaças que prometiam expôr sua sexualidade. Garcia ainda afirmou que continua "sendo radicalmente contra o movimento LGBT".

A revelação surpreendeu, visto que o político havia ameaçado transexuais em sessão no dia anterior, afirmando que caso uma mulher transexual entrasse no banheiro feminino em que sua mãe ou irmã estivessem, ele a tiraria a tapas.

“Se por acaso dentro do banheiro uma mulher, em que a minha irmã ou a minha mãe, estiver utilizando, e entrar um homem que se sente mulher, ou que pode ter alegando o que ele quiser e colocado o que quiser, porém eu não estou nem aí, eu vou tirar primeiro no tapa e depois chamar a polícia para ir levar”, afirmou em sessão na quinta-feira, 4.

A declaração ocorreu após Erika Malunguinho (PSOL), primeira transexual eleita para o cargo de deputada estadual de São Paulo, criticar o projeto de lei de Altair Morais, deputado pelo PRB. O projeto "estabelece o sexo biológico como o único critério para definição do gênero de competidores em partidas esportivas oficiais no estado".

Nesta sexta-feira, após o anúncio de Janaina Paschoal, Garcia afirmou que a sexualidade não irá interferir na bandeira que defende "contra a ideologia de gênero". Ainda em declaração no twitter, disse que sua primeira medida contra homofobia será pedir ao presidente para "facilitar o porte de armas de fogo."

Redação O POVO Online