PUBLICIDADE
Política

Bolsonaro chega a festa em churrascaria antes do aniversariante

22:24 | 28/03/2019
A rigidez militar dos tempos do Exército faz do presidente Jair Bolsonaro um cumpridor de horários com precisão quase que britânica. Na noite desta quinta-feira, 28, o hábito fez com que Bolsonaro chegasse antes do aniversariante, um dos seus soldados mais próximos: o deputado Hélio Lopes (PSL-RJ). A celebração ocorre em uma churrascaria próxima ao Lago Sul de Brasília. O evento estava marcado para as 20h e o presidente chegou às 20h06.
O presidente chegou acompanhado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da filha Laura, de 7 anos, que raramente é vista com o pai em locais públicos. Assim que chegou, Bolsonaro tirou fotos com alguns convidados e seguiu para o salão. Michelle preferiu ficar de fora das fotos e foi logo entrando para área reservada.
O aniversariante, Hélio Lopes, que na eleição usou o sobrenome da família Bolsonaro nas urnas e teve a maior votação no Rio, chegou exatos seis minutos após o "01". Acompanhado dos filhos, acenou para um salão vazio e entrou na área reservada.
No local da comemoração, os únicos que entravam e saíam tranquilamente da área eram os garçons com espetos de carne e as crianças que corriam livremente. Um segurança de quase dois metros restringia a passagem de curiosos que a toda hora iam ao local.
Bolsonaro recebeu Hélio de pé. Em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente aparece em clima descontraído ao lado do aniversariante. Nas imagens, ele posa para fotos e chama Hélio de "irmão". Em certo momento, brinca com a cor da camisa usada pelo deputado: "mas essa camisa cor-de-rosa, não sei, não", fala, aos risos. Em seguida, Hélio reage - "é salmão, é salmão" -, provocando risadas entre os presentes. Ele afirma que Bolsonaro é seu "irmão do coração, um irmão verde e amarelo".
Bolsonaro passou a primeira hora da festa de pé, falando com convidados. Além dele, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o primo dos filhos, Leo Índio, estavam no local. O fiel aniversariante, ao lado, conversava com convidados que se amontoavam perto do presidente.
A primeira-dama foi logo sentando e pediu picanha bem passada e um refrigerante. Uma taça de água também estava próxima a ela. Bolsonaro só foi comer quase uma hora depois, limitando-se a um pastel de carne. Dois chefs se revezaram para atender o presidente.
Segundo pessoas que participam da celebração, Bolsonaro avisou que não ia comer carne ao longo da noite. Na quarta-feira, na última revisão médica após a cirurgia para retirada da bolsa de colostomia, recebeu "orientações em relação à dieta".

Agência Estado