PUBLICIDADE
Notícias

Presidente do PSL, Bivar vota contra o Planalto

21:28 | 19/02/2019
Na sessão realizada na terça-feira, 19, o presidente nacional do PSL (partido de Jair Bolsonaro), deputado Luciano Bivar (PE), deu apoio ao pedido de urgência para votar o projeto que derrubou decreto do vice-presidente Hamilton Mourão sobre classificação de documentos ultrassecretos do governo. Além dele, outro parlamentar do PSL - o deputado Coronel Tadeu (SP) - foi contra a orientação do Palácio do Planalto. A sigla tem 52 cadeiras na Casa.
Procurada, a assessoria de imprensa de Bivar afirmou à noite que o parlamentar se confundiu ao votar a favor da urgência do projeto. "Ele digitou errado. Se confundiu e votou errado. Na votação seguinte (que tratou do mérito do projeto), ele votou certo, com a orientação do partido e do governo", informou a assessoria. Mais cedo, o deputado havia se reunido com o próprio Bolsonaro, no Planalto. Saiu do encontro dizendo que teve um "almoço cordial".
Já o Coronel Tadeu disse que sua decisão foi tomada porque, momentos antes de registrar seu voto, a liderança do governo havia liberado a bancada no encaminhamento da votação. Já o PSL foi o único partido que orientou seus integrantes a votar contra a questão.
"Votei com a minha consciência e independência e obedeci à liderança do governo", afirmou. Questionado sobre o motivo de ter ido contra o encaminhamento do seu partido, Tadeu afirmou que obedeceu ao governo. "O partido é uma coisa. Eu fui com o governo."

Agência Estado

TAGS