PUBLICIDADE
Notícias

Bolsonaro recebe ministros e fala em alta 'nesta semana'

18:53 | 11/02/2019
Duas semanas após uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia, o presidente Jair Bolsonaro recebeu na segunda-feira, 11, a visita de três ministros, do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e do secretário estadual de Segurança Pública, João de Campos, no Hospital Albert Einstein, na capital paulista. Bolsonaro também concedeu uma rápida entrevista, por telefone, à TV Bandeirantes, na qual afirmou que, "se Deus quiser, esta semana terei alta".
"Estou me recuperando. Tive o problema de ter adquirido uma pequena pneumonia há uma semana. Se não fosse isso, eu poderia até estar de alta já. Se Deus quiser, esta semana terei alta", disse o presidente ao jornalista José Luiz Datena.
Os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) e Fernando Azevedo e Silva (Defesa) despacharam com o presidente ao longo dia, afirmou a assessoria de imprensa do Planalto.
As visitas de Doria e Campos foram "de cortesia", disse, em Brasília, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. Ao deixar o hospital, após o encontro de cerca de 20 minutos, Doria disse que o texto da reforma da Previdência deve ser fechado na próxima sexta-feira e enviado ao Congresso na semana que vem.
"O presidente deverá estar sexta-feira com o ministro Paulo Guedes para fechar o texto final que será encaminhado ao Congresso na semana que vem. Mas ele mesmo falará sobre isso tão logo esteja em Brasília", afirmou Doria, comentando na sequência que a previsão de enviar a proposta ao Congresso foi manifestada por Bolsonaro, mas que é uma avaliação própria.
Segundo o governador, os dois não conversaram sobre o conteúdo da reforma. "Esta semana ele sairá do hospital, ele está bastante convicto disso."
Boletim
De acordo com boletim médico divulgado na tarde de ontem, Bolsonaro apresentou melhora "progressiva" e recebeu alta da terapia semi-intensiva. Além disso, o presidente começou a se alimentar com uma "dieta leve" e foi suspensa a nutrição que recebia pela veia.
Até então, Bolsonaro estava recebendo apenas alimentação cremosa. A evolução da dieta é uma das condições para alta do presidente. Segundo o boletim, Bolsonaro não apresenta dor ou febre e segue com melhora do quadro pulmonar após ter sido diagnosticado com pneumonia na semana passada.
"Estão sendo mantidas as medidas de prevenção de trombose venosa, realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto. Por ordem médica, as visitas permanecem restritas", diz o boletim.
TAGS