PUBLICIDADE
Notícias
política

Bolsonaro apresenta quadro de pneumonia após cirurgia realizada em janeiro

O presidente se mostrou otimista em relação ao seu quadro clínico e caminhou no corredor nesta quinta-feira, 7

10:10 | 08/02/2019

O presidente Jair Bolsonaro foi diagnosticado com pneumonia na tarde dessa quinta-feira, 7, de acordo com o boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein, onde continua internado em Unidade Semi-Intensiva. Submetido a uma tomografia do tórax e abdome, constatou-se que o quadro intestinal, por sua vez, teve uma “boa evolução”.

Com base nisso, foi realizado um ajuste na antibióticoterapia e foram mantidos os demais tratamentos. O presidente continua sem dor, se alimentando por uma sonda nasogástrica e recebendo líquidos por via oral. Bolsonaro ainda realizou exercícios respiratórios e caminhou no corredor. Por ordem médica, as visitas permanecem restritas. Com o atual quadro, não há previsão de alta.

Os médicos do Hospital Albert Einstein introduziram na noite desta quinta-feira, 7, na alimentação do presidente, um caldo de carne - até então ele vinha tomando apenas água. No entanto, ainda não se trata de evolução para a dieta pastosa, pois o caldo era líquido. Nessa sexta-feira, 8, Bolsonaro acordou sem febre, segundo à assessoria de imprensa da Presidência.

 

O presidente se pronunciou, por meio do Twitter, acerca de sua situação no hospital. Também fazendo menção a sua equipe política, Bolsonaro comentou: “Estamos muito tranquilos, bem e seguimos firmes”. Ele ainda alertou para que se tenha cuidado com o “sensacionalismo”.

Já o vice-presidente, Hamilton Mourão, disse que irá aguardar para ver como esse quadro se desenvolverá. Ele concluiu que é algo muito incipiente, que é “normal de acontecer quando a pessoa fica muito tempo deitada, ambiente de hospital tem esses problemas”. Mourão ainda afirmou que não falou com Bolsonaro porque “ele não está falando”, mas que iria tentar contato com os familiares do presidente para ter mais detalhes.

Entenda a cirurgia

O presidente fez uma nova cirurgia no último dia 28, quando precisou retirar a bolsa de colostomia e reconstituir o intestino, após o ataque a faca que sofreu em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral, em 6 de setembro do ano passado.

No último fim de semana, Bolsonaro teve episódios de febre e reiniciou o tratamento com antibióticos, na Unidade Semi-Intensiva. Esse tipo de unidade é usada para pacientes que precisam de cuidados intensos, mas não exigem um monitoramento permanente, como é feito na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Com Agência Brasil