PUBLICIDADE
Notícias
RÁDIO O POVO CBN

Deputado André Fernandes defende imagens de armas em gabinete: "São usadas para defender pessoas"

Em entrevista à rádio O POVO CBN nesta quinta-feira, 28, o deputado se colocou como armamentista e afirmou sempre ter gostado de armas

18:46 | 28/02/2019
André Fernandes é o deputado estadual mais votado do Ceará nas eleições 2018. (Foto: Mateus Dantas / O Povo)
André Fernandes é o deputado estadual mais votado do Ceará nas eleições 2018. (Foto: Mateus Dantas / O Povo)

O deputado estadual André Fernandes (PSL) defendeu o uso de armamentos, depois que a Mesa Diretora da Assembléia Legislativa decidir não haver problema na decoração do gabinete com réplicas de armas de fogo. O parlamentar afirmou que armas servem também para proteção e que não considera contraditório um cristão ser armamentista.

Em entrevista à rádio O POVO CBN na manhã desta quinta-feira, 28, o deputado se colocou como armamentista e afirmou sempre ter gostado de armas. "Se estiver dentro de uma casa, evita um estupro, um assalto, um sequestro...". A entrevista foi concedida ao jornalista Luiz Viana, no programa O POVO no Rádio.

Quando perguntado sobre uma possível contradição em se identificar como cristão evangélico e defender o uso de armas, André desconsiderou: "Na verdade, contradição para um cristão seria apoiar esquerdista, PT, apoiar ideologia de gênero nas escolas, apoiar uma criança tocar um homem nu no museu".

Ele também esclareceu que a defesa de armas de fogo não se baseia em uma questão de "autoestima", como um ouvinte questionou durante o decorrer da entrevista. "Sempre gostei de arma, independente de partido político, independente de campanha, independente de ter gabinete ou não. (...) Creio que eu tenho direito a liberdade de expressão e de decorar o meu gabinete da forma que eu bem entender. Já que todos ai, democraticamente, defendem a liberdade individual de cada ser".

Vídeo de Dilma

Eleito com campanha realizada nas redes sociais e crítico ferrenho do PT, André comentou vídeo publicado em seu Twitter que mostra a ex-presidente Dilma supostamente defendendo aposentadoria para mulheres aos 85 anos e para homens aos 95 anos. "Sabe aqueles petistas que estão reclamando das novas idades de aposentadoria da nova proposta de previdência apresentada no governo Bolsonaro? Mostre a eles esse vídeo da Dilma", dizia uma parte do tweet.

Entretanto, o vídeo citado mostra apenas um trecho da afirmação da ex-presidente. Dilma falava da fórmula 85/95, que considera a soma da idade do trabalhador com o seu tempo de contribuição ao INSS. dessa forma, uma mulher de 55 anos de idade com 30 anos de contribuição poderia se aposentar, já que a soma atinge 85.

Ao ser questionado sobre a veracidade da informação, André desconversou: "Se é fake news eu não sei, mas eu publiquei um vídeo, né? E no vídeo ela fala bem claro. No vídeo ela destaca, claramente, o que eu citei no tweet. Não foi uma frase minha, foi um vídeo".

Segundo ele, três advogados trabalham em seu gabinete, analisando questões jurídicas. "Tudo que publico nas redes sociais sou eu mesmo, porém passa pelo aval deles (advogados). (...) Se não tiver (procedência), eu prefiro não fazer. Diferente de outras pessoas, que usam de má fé tentando denegrir a nossa imagem", disse o deputado.

Sobre o bloco de oposição formado na Assembleia, composto por PSL, Pros e PSDB, André considerou que o grupo serve para "ocupar espaços" nas comissões. "Aqui na Assembléia são 38 (partidos) da situação contra 8 da oposição. É uma luta altamente desigual, altamente injusta".

"Muitos me perguntam: 'André, como é que tu vai conseguir aprovar os projetos se tem 38 de situação?' Bom, se vai ser aprovado ou não, eu não sei. Mas a minha parte eu vou fazer. Vou fiscalizar, vou cobrar e vou colocar projetos em pauta".

Redação O POVO Online