PUBLICIDADE
Notícias

Viagem de parlamentares à China é alvo de críticas e coloca aliados de Bolsonaro em pé de guerra

A intenção dos anfitriões é apresentar aos congressistas um sistema de reconhecimento facial para identificar criminosos

16:20 | 18/01/2019
NULL
NULL
Visita da comitiva brasileira à China está provocando críticas de apoiadores e deixou a base do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em pé de guerra. O grupo de pelo menos 20 pessoas que visita o país asiático é formado, em sua maioria, por parlamentares do mesmo partido do capitão reformado, eleito com forte discurso de combate à “ideologia comunista”. Os visitantes foram convidados para a viagem. A intenção dos anfitriões é apresentar aos congressistas um sistema de reconhecimento facial para identificar criminosos.
 
[FOTO1] 
 
Até agora, o filósofo de direita Olavo de Carvalho teceu as críticas que provocaram maior burburinho entre os aliados do presidente. Em vídeo publicado em redes sociais na última quarta-feira, 16, ele classificou  os integrantes da comitiva como “ignorantes”, “semianalfabetos”, “idiotas”, “caipiras” e “palhaços”. 
 
[VIDEO2] 

Ele os acusou de estar entregando o Brasil ao Governo da China e ainda negou ser “guru” do Governo Bolsonaro. “Eu sou o guru dessa porcaria? Não sou o guru de merda nenhuma”, atacou o responsável por indicar Ricardo Vélez Rodriguez e Ernesto Araújo para o quadro ministerial do presidente. 
 
“Nunca vou te perdoar”
 
Enquanto citava o nome dos congressistas, Olavo ainda atacou diretamente a deputada Carla Zambelli (PSL). “Nunca vou te perdoar isso aí. Eu já te ajudei muito. Se você não sair desse negócio eu não falo mais com você", disse, logo após chamá-la de “caipira”. 
 
Em meio à agenda internacional, os parlamentares reagiram de imediato.  A deputada chegou a postar vídeo, posteriormente excluído, no qual explica que está apenas conhecendo tecnologias, não assinando acordos entre os dois países. “Ele bateu no Bolsonaro e em mim, mas não sabe o que está acontecendo aqui”, disse. 
 
[VIDEO1] 
 
Ela ainda relembrou o apoio do filósofo de direita a Joice Hasselmann (PSL) nas eleições para justificar que não deve o mandato a ele. “Sou mais brasileira que muita gente, aliás, vivo e moro no Brasil, diferente de pessoas que estão nos criticando e moram há anos fora do País”, atacou Olavo, residente no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. 
 
“Falácia”
 
Quem também respondeu foi a senadora Soraya Thronicke (PSL). Ela classificou as críticas contra os visitantes brasileiros como “falácia” e desinformação. “Professor, cuidado com as suas fontes. Estou disponível para qualquer esclarecimento”, publicou. 
 
O deputado carioca Daniel Silveira (PSL) também publicou vídeo justificando a visita aos chineses. Segundo ele, todos os custos – estimados em R$ 36 mil – foram financiados pelos anfitriões. “Se fosse na Coreia do Norte, um regime de porcaria, mas tivesse alguma melhoria lá que desse para implantar no Brasil, por que não buscar?”, questionou. 
 
Amenizando a polêmica envolvendo a ideologia do governo da China, o parlamentar ainda defendeu ser um regime brando, se comparado ao de outros países. “A China é governada pelo partido comunista desde 1940, opera em regime socialista, mas é diferente da Venezuela, de Cuba, da Coreia do Norte, que são regimes fechados, muito diferente daqui, aqui é mais light, é um socialismo”, se defendeu o Silveira.
TAGS