PUBLICIDADE
Notícias

Marco Aurélio enviou 28 casos semelhantes aos de Flávio Bolsonaro a instâncias inferiores

Todos os casos analisados pelo ministro, desde maio do ano passado, que envolviam políticos em situações anteriores ao mandato e não relacionados ao cargo foram enviados a instâncias menores

14:39 | 19/01/2019
[SAIBAMAIS]Desde maio de 2018, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, enviou a instâncias inferiores da Justiça 28 inquéritos parecidos ao caso do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O filho do presidente Jair Bolsonaro pediu a suspensão das investigações do Ministério público do Rio de Janeiro, incluindo movimentações financeiras do ex-assessor Fabrício Queiroz.


De acordo com o portal G1, todos os casos analisados no período e que envolviam políticos em situações anteriores ao mandato e não relacionados ao cargo tiveram o mesmo destino. Para o ministro, os políticos em questão só devem ser processados no STF por crimes cometidos durante o mandato e com envolvimento no cargo.


O caso de Flávio Bolsonaro será analisado por Marco Aurélio no próximo dia 1º. Na última quarta-feira, 16, o ministro Luiz Fux, plantonista, suspendeu a investigação até a decisão de Marco Aurélio Mello. A medida foi realizada após reclamação do senador eleito. 


Para a defesa de Flávio Bolsonaro, as provas coletadas deveriam ser anuladas. O argumento é que o Ministéiro Público não poderia obter informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sem autorização judicial.
 
Na noite desta sexta-feira, 18, um trecho do relatório do Coaf revelado no Jornal Nacional mostrou que, em um mês, quase 50 depósitos em dinheiro foram feitos numa conta do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro. A suspeita, segundo a reportagem, é que funcionários dos gabinetes devolviam parte dos salários, numa operação conhecida como "rachadinha".
 
 
Redação O POVO Online
TAGS