Só Capitão Wagner e Célio Studart se elegeram "sozinhos" para a Câmara no CearáNotícias de Política
PUBLICIDADE
Notícias


Só Capitão Wagner e Célio Studart se elegeram "sozinhos" para a Câmara no Ceará

Votação de Wagner ajudou na eleição de Vaidon Oliveira; já a de Célio elegeu o pastor Dr. Jaziel

13:41 | 16/10/2018
NULL
NULL

[FOTO1] 
Capitão Wagner (Pros) e Célio Studart (PV) foram os dois únicos candidatos a deputado federal pelo Ceará que conseguiram se eleger “sozinhos” – sem precisar dos votos da coligação – na eleição deste ano.
 
Para ganhar uma vaga na Câmara dos Deputados, cada coligação precisou de cerca de 208,8 mil votos. Entre os eleitos pelo Ceará, apenas Wagner (com cerca de 303,5 mil votos) e Célio (com quase 208,9 mil votos) conseguiram bater o índice.
 
Clique nas setas para navegar entre infográficos: 
[VIDEO1] 
Em consequência direta das votações, Wagner ajudou na eleição de Vaidon Oliveira (Pros), que tirou só 30,3 mil votos, e Célio ajudou a eleger o pastor Dr. Jaziel (PR), que tirou 65,4 mil votos.
 
No segundo caso, chama a atenção disparidade de posições políticas entre Célio e Jaziel. Improvável, a aliança entre os dois ocorreu por conta da coligação formada pelo partido de Célio, o PV, que fechou blocão com PT, PCdoB, PP, PR e PMN. Desta forma, quem votou em políticos como Luizianne Lins (PT) acabou ajudando na eleição do pastor.

 
 
[VIDEO2] 
 
[SAIBAMAIS]Assembleia Legislativa

 
Na disputa pela Assembleia Legislativa, três candidatos conseguiram bater o quociente mínimo para a eleição de um deputado estadual – de 99,3 mil votos. Foram eles André Fernandes (PSL), com 109,7 mil, Queiroz Filho (PDT), 103,9 mil, e Sérgio Aguiar (PDT), 100,9 mil.

 
Mais votado no Estado, o novato André Fernandes ajudou a trazer de volta à Casa o folclórico ex-deputado Delegado Cavalcante (PSL), que tirou 27,1 mil votos. Já a votação de Queiroz e Sérgio afetou diretamente eleição de Leonardo Pinheiro (PP), que tirou 48,7 mil votos.

 
Para o legislativo estadual, coligação mais "confusa" foi o blocão governista fechado por PP, PDT, PR, DEM e PRP. Entre este grupo, cinco parlamentares com menos de 50 mil votos acabaram eleitos. Principais beneficiados pelos votos em conjunto foram Julinho (PPS), eleito com 25,7 mil votos, Nizo Costa (Patri), com 24,7 mil, e Soldado Noélio (Pros), com 24,5 mil.
TAGS