Jovens de vinte municípios do Ceará se encontram para discutir política Notícias de Política
PUBLICIDADE
Notícias


Jovens de vinte municípios do Ceará se encontram para discutir política

Debate foi parte do projeto Saia do Muro, iniciativa do Unicef

13:15 | 03/10/2018
NULL
NULL
[FOTO1]
Jovens de vinte municípios do Ceará se reuniram na manhã desta terça-feira, 3, para debater a política brasileira. O momento faz parte do programa Saia do Muro, uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para inserir o jovem na discussão política. A primeira edição do Saia do Muro ocorreu há 16 anos, em 2002.
  
O POVO, MPT-CE, Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDM-CE) são parceiros.

O ponto de partida das discussões foi a realização de pesquisa entre os próprios jovens e da qual eles próprios participaram da formulação, por meio de oficina. Algumas perguntas remeteram a questões respondidas pelos jovens na pesquisa de 16 anos atrás. A ideia era entender como a percepção mudou. Desta vez, o questionário foi aplicado pela plataforma U-Report, do Unicef, presente em mais de 40 países. É uma ferramenta interativa na qual os jovens respondem enquanto dialogam com um robô, por meio do Messenger ou SMS.
 
Em seguida, jovens de cada município se reuniam em rodas de conversa para discutir questões sobre o tema. Dos 60 municípios que participaram das enquetes e discussões, 20 foram convidados a participar do debate desta manhã, no Centro Administrativo do Ceará. Cada município foi representado por um casal de jovens, que, sob mediação do jornalista Lucas Braga, do O POVO, relataram o que foi discutido durante o projeto. 
  
 
 
 
 
 
[FOTO2]A estudante Ana Julya, de 16 anos, veio do Crato, distante 501 quilômetros de Fortaleza, para participar do encontro. "Aqui, debatemos sobre engajamento e protagonismo juvenil. É tão importante ter esse espaço de fala para sair do muro e vir para Fortaleza expor opiniões que representam os jovens que tivemos contato no nosso município", conta. 
  
Para a estudante Carol Lima, de 13 anos, que reside em Palhano, distante 158 quilômetros de Fortaleza, participar do Saia do Muro foi essencial para entender que discutir política é importante. "Aqui, temos o direito de nos expressar abertamente sobre os assuntos. Antes eu não gostava de política, mas agora aprendi é importante. Quando chegar aos meus 16 anos, eu quero votar com consciência para escolher o melhor para a sociedade", explica.  

"O Saia do Muro é importante para dar vez e voz aos jovens cearenses, principalmente do interior, para que eles possam discutir questões políticas de forma participativa", explica a secretária executiva da APDM Amélia Prudente, uma das envolvidas no programa.
  
"Ficamos felizes em ver que o jovem tem formação suficiente para se colocar e discutir esse tema de forma tão madura. Além disso, eles têm a oportunidade de levar as temáticas discutidas para a família e pessoas do convívio. Nós sabemos que a juventude é capaz de fazer a diferença, eles podem defender um discurso político coerente para mudar a realidade do país", comemora Amélia.
  
Agora, ela conta que, após o processo eleitoral, os jovens terão novo debate, desta vez com o governador que for eleito no Ceará. "Os jovens vão se reunir com o novo governador para ter esse momento de discussão. Serão debatidos os interesses, direitos, deveres e necessidades do jovem", detalha.
 
Após o debate, o grupo foi direcionado a um passeio pelo Centro Administrativo. A primeira parada foi no Tribunal de Contas dos Municípios, onde se discutiu sobre controle social e participação política. Os jovens também conheceram a Secretaria de Educação, em que se abordaram os temas "educação é mais que matricula na escola" e "saúde é mais do que serviço de saúde".
 

Projetos parceiros
  
Realizado pelo Instituto Albanisa Sarasate, O POVO Educação colabora para a formação de leitores e escritores críticos com a sociedade.
  
Iniciativa do TRE, o Eleitor do Futuro trabalha para promover a educação política de adolescentes entre 12 a 17 anos, especialmente das escolas públicas.
  
Criado em 2008 pelo MPT-CE, o Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca) engaja professores para ajudar a garantir o direito a educação plena. A Peteca reduziu, em 10 anos, 70% do trabalho infantil no Estado.
  
Realizado pelo PDMCE, o Eu Sou Cidadão abraça crianças de 90 municípios contribuindo para o protagonismo juvenil a partir da literatura correspondente ao universo dos adolescentes.
  
Ação do Selo Unicef, o Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (Nuca) articula a mudança de local e valorização do talento de adolescentes por meio da formação.
TAGS