Honestidade e mudança: o que os jovens cearenses esperam dos políticosNotícias de Política
PUBLICIDADE
Notícias


Honestidade e mudança: o que os jovens cearenses esperam dos políticos

Iniciativa comandada pelo Unicef é reeditada depois de 16 anos e mostra o que mudou na percepção do jovem cearense sobre a política, os políticos e o Brasil

17:50 | 13/09/2018
NULL
NULL
Se pudessem eleger um candidato ideal, os jovens cearenses colocariam no poder alguém honesto e que represente mudança, com capacidade de gestão. O perfil foi revelado pelo projeto Saia do Muro, lançado no último dia 14 de agosto, na  sede do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE), após pesquisa virtual no Estado sobre a política. É a segunda vez os dados são coletados. A primeira, em 2002, mostrou preferências semelhantes entre as pessoas de 16 e 24 anos de idade.
 
 
Ao todo, a parcela de pessoas que opta por honestidade, por exemplo, representa 29% dos entrevistados. Já quem busca por mudança soma 21%. Capacidade de gestão é a prioridade para 19%. Ter compromisso com os mais pobres e respeitar a diversidade são comportamentos valorizados por cerca de 15% e 14% dos entrevistados, respectivamente. A orientação política, seja de esquerda ou de direita, e as preferências religiosas são os aspectos menos valorizados, variando entre 1% e 2%. Cada participante do questionário pôde selecionar até dois quesitos.

[FOTO1] 
Atualmente sociólogo e advogado, Edson Ferreira, 32, participou do levantamento há 16 anos, quando ainda era estudante de escola pública em Juazeiro do Norte, a 500 km de Fortaleza. Para ele, o resultado da pesquisa, parecido ao publicado no início dos anos 2000, indica jovens e adolescentes conscientes de quem buscar para liderar as instituições públicas. Ao mesmo tempo, ele lamenta que as referências ainda representem minorias mais de uma década e meia depois.
 
[SAIBAMAIS]
 
"A semelhança é resultado da própria conjuntura em que vivemos, onde a corrupção está centrada no nosso sistema", criticou. Desde 2002, quando respondeu ao questionário, Ferreira conta que viu nascer várias iniciativas buscando minimizar o desequilíbrio social entre ricos e pobres e valorizando a almejada honestidade, mas pondera ainda ser necessário avanços na sociedade.
 
"A transparência é um caminho (na busca pela honestidade), por exemplo. Agora, principalmente no parlamento, conseguimos acompanhar melhor o dia a dia, conseguimos saber quem são os comprometidos, honestos, percebemos que nem todos são do mesmo jeito", ressaltou. 
 
Política prioritárias
 
O projeto Saia do Muro ainda questionou sobre setores a serem priorizados pelos gestores eleitos. Há 16 anos, os entrevistados indicavam principalmente trabalho e geração de renda como áreas mais importantes. À época, o grupo representou 44% dos votos. Na nova consulta, educação e saúde lideraram a preferência, com 31% e 25% dos votos, respectivamente.
 
Dentre as outras políticas a serem valorizadas, segundo as 2.238 pessoas consultadas, esporte e cultura representam 16% e 15% dos votos, respectivamente. Os temas menos votados foram meio ambiente (7%) e moradia (5%).

Amostra 
 
A consulta foi realizada com público, majoritariamente, de áreas urbanas dos municípios do interior do Estado. Os adolescentes e jovens responderam aos questionamentos na plataforma U-Report, dentro do Saia do Muro.
 
A plataforma é gratuita e usa SMS, Facebook e Twitter para saber a opinião dos jovens e adolescentes. Ao todo, 38.833 jovens estão cadastrados. Desses, cerca de cinco mil estão no Ceará, o Estado mais presente no sistema.
 
A iniciativa é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e os respondentes são ligados a projetos parceiros: O POVO Educação, do Instituto Albanisa Sarasate; Eleitor do Futuro, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE); Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE); Eu Sou Cidadão, da Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDM-CE); e Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (Nuca), ação do Selo Unicef.
TAGS