PUBLICIDADE
Notícias

Proposta do Escola Sem Partido que prevê adoção de cartaz com deveres do professor será debatida

O texto também busca proibir a oferta de conteúdos de "gênero ou orientação sexual", o que mudaria a (LDB) previstas em Lei de 1996

23:09 | 09/07/2018
NULL
NULL
[FOTO1]Substitutivo proposto pelo deputado Flavinho (PSC-SP), relator da PL 7180/2014, conhecida como Escola Sem Partido, será apresentado e votado nesta quarta-feira, 11, na comissão especial que analisa a proposta. O parecer, se aprovado, determinará que todas as salas de aula terão um cartaz com seis deveres do professor. Texto também altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).
  
Segundo a proposta do deputado paulista, professores não poderão fazer com que os alunos se aliem a nenhuma corrente política, ideológica ou partidária. O texto também busca proibir a oferta de conteúdos de "gênero ou orientação sexual", o que mudaria a (LDB) previstas em Lei de 1996. Essas mudanças seriam refletidas em livros paradidáticos e didáticos, as avaliações de vestibular, provas para ingresso na carreira docente e as instituições de ensino superior também estariam sob as diretrizes da proposta.
  
Os cartazes seriam expostos em salas de aula e entre os seis deveres dos docentes estaria a proibição de incitação dos alunos a participar de manifestações e também indicações sobre as principais teorias sobre questões políticas, socioculturais e econômicas.
  
De acordo com informações da Agência Câmara, o relator do Escola Sem Partido ainda propõe inclusão na LDB da ideia de que os valores "ordem familiar" têm precendência sobre a educação escolar nos aspectos relacionados à educação moral, sexual e religiosa.

  
Redação O POVO Online
TAGS