PUBLICIDADE
Política
eleições 2018

Juíza diz que Lula está "inelegível" e nega pedido de emissoras para sabatinar o ex-presidente

O Ministério Público Federal apoiou decisão da juíza federal, manifestando posição contrária ao pedido

19:01 | 11/07/2018
Pedido emitido pelo Uol, Folha de S. Paulo e SBT para entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi negado pela juíza federal Carolina Moura Lebbos. A magistrada alegou que o petista não possui validade jurídica e que a sabatina não teria propósito, uma vez que Lula está "inelegível" - já que foi condenado em segunda instância. A informação é do Uol. 
 
(Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)
 
Para embasar seu argumento, ela menciona a Lei da Ficha Limpa. A partir da legislação, a juíza defende que não se pode extrair utilidade da realização de sabatinas com alguém preso, além de não se mostrar razoável a autorização pretendida pelos veículos midiáticos. O Ministério Público Federal apoiou decisão de Carolina, manifestando posição contrária ao pedido. A defesa de Lula foi contra a decisão.
 
A alegação da defesa do líder político diz que ele, se proibido, estaria tendo seus direitos de igualdade e isonomia comprometidos, comparado aos demais pré-candidatos. Sobre a afirmativa, a juíza rebate. Diz que os critérios de igualdade e isonomia para Lula não devem ser os mesmos de pessoas em liberdades. 
Em parceria, os três veículos já sabatinaram os pré-candidatos Alvaro Dias (Podemos), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB). Líder nas pesquisas de intenção de voto sem Lula, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) recusou convite feito a ele.
 
No período de cárcere, Lula já se relacionou com a mídia. Ele comentou, por meio de cartas, jogos da Copa da Rússia, no programa de internet do jornalista e amigo, José Trajano. 
 
Redação O POVO Online