PUBLICIDADE
Política
Eleições 2018

Governador de Pernambuco tenta tirar PSB de Ciro e se aliar ao PT

Paulo Câmara se reuniu nesta quinta-feira, 12, com a presidente nacional do PT, Gleisi Goffman para negociar aliança nacional. O PSB é a aliança mais encaminhada de Ciro Gomes (PSB)

20:23 | 12/07/2018
Paulo Câmara se reuniu com Gleisi Hoffman(Foto: Guga Matos/JC Imagem)
Após reunião nesta quinta-feira (12) com a presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffman, o governador de Pernambuco e vice-presidente nacional do PSB, Paulo Câmara, demonstrou que não poupará esforços em prol de uma aliança da sua sigla com o Partido dos Trabalhadores.
 
 
A maioria do PSB nacional tem se posicionado a favor de aliança com o PDT de Ciro Gomes. Porém, Pernambuco é historicamente a maior força do PSB e, por questões locais, quer levar o partido para se aliar com o PT. 
 
O governador pernambucano lembrou que o diretório estadual do PSB já se manifestou diversas vezes como sendo a favor da aliança e da candidatura do ex-presidente Lula "Isso é o que nós estamos defendendo internamente dentro do partido, vamos continuar a defender e vamos fazer todos os esforços para que essa aliança se concretize", cravou o socialista.
 
 
Paulo pediu ao presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, para que adiasse as reuniões da Executiva Nacional e do Diretório Nacional do partido para ter mais tempo para seguir com as tratativas com o PT. As conversas vinham se encaminhando para levar o PSB para a coligação de Ciro.
 
 
"Evidentemente, o PSB é um partido democrático e tem candidaturas majoritárias em vários estados e a gente tem que respeitar tudo isso. Mas, no âmbito da nossa direção estadual e também nas nossas discussões nacionais, nós vamos levar ao Congresso esse posicionamento de Pernambuco em favor da aliança formal com o PT". 
 
 
Cenário em Pernambuco
 
 
Nessa quarta-feira, 11,, após reunião com dirigentes do diretório estadual, Gleisi tratou de apaziguar os ânimos dentro do PT e ressaltou que a candidatura de Marília Arraes (PT) não está descartada, porém reafirmou a possibilidade do partido voltar à Frente Popular em caso de aliança nacional entre PT e PSB.
 
 
Marília é neta de Miguel Arraes, vereadora pelo PT e pré-candidata a governadora, o que pode atrapalhar os planos de Câmara.
 
 
Com informações do repórter Paulo Veras, da Editoria de Política
Via Rede Regional