PUBLICIDADE
Política
Denúncias

PF acusa Temer de ter dado aval à compra do silêncio de Cunha, diz jornal

A informação foi publicada pelo O Globo. Segundo a corporação, há indícios de pagamentos realizados a pedido do presidente

14:12 | 14/06/2018
Temer com expressão tensa
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
A Polícia Federal aponta envolvimento do presidente Michel Temer (MDB) em fraudes na Caixa Econômica Federal, segundo noticiou o site do jornal O Globo. Conforme a notícia, o relatório final da operação Cui Bono afirma que o emedebista teve envolvimento na tentativa de compra do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB), e também do operador Lúcio Funaro.
A PF, segundo informa O Globo, considera haver "indícios suficientes de materialidade e autoria" de Temer. Conforme o relatório, o presidente estimulou Joesley a manter pagamentos a Cunha e Funaro, que estavam presos, para que os dois não fizessem acordos de delação premiada.
A denúncia tem por base delação premiada feita pelo empresário Joesley Batista, da J&F. Em áudio tornado público em maio do ano passado, Joesley gravou Temer no Palácio do Jaburu. Ao ouvir do empresário que estava "de bem" com Cunha, o presidente responde: "Tem que manter isso aí, viu?"
O empresário disse, em depoimento, que havia repassou R$ 5 milhões quando Cunha já estava preso. O dinheiro seria "saldo de propina". Funaro teria recebido pagamentos mensais de R$ 400 mil.
Joesley disse ter comunicado a Temer sobre os pagamentos e informou a ele que a intenção era manter o silêncio dos dois. Então, segundo disse, o presidente recomendou que fossem mantidos os pagamentos.
Após a delação de Joesley, Funaro também fez acordo a admitiu ter recebido dinheiro para não denunciar. Temer sempre negou as acusações e disse ter sido vítima de armação.
O relatório, conforme o jornal, acrescente que o presidente não comunicou às autoridades a suposta corrupção de juízes e membros do Ministério Público, narrada a ele Joesley no Jaburu.
 
Redação O POVO Online