PUBLICIDADE
Notícias

Polícia Federal pede mais tempo para analisar dados bancários de Temer

Somado ao pedido da PF para prorrogação do prazo de investigação, outros documentos foram adicionados ao inquérito. Um deles é o registro da intimação da filha de Temer, Maristela

15:43 | 27/04/2018
NULL
NULL
A Polícia Federal pediu mais 60 dias para analisar "inquérito de portos", que investiga Temer, aliados e empresas do setor portuário. O argumento da instituição foi a necessidade de mais tempo para avaliar dados da quebra de sigilo do presidente Michel Temer (MDB) e o material reunido pala Operação Skala, que prendeu amigos do presidente no fim do último mês.
 
[FOTO1] 

Conforme o documento, no fim de março, a PF recebeu dados do Tribunal de Contas da União (TCU) referente aos processos relativos aos portos da Rodrimar, hoje no tribunal. Segundo a blogueira, as investigações apontam a Rodrimar como a principal beneficiada com a edição de decreto de Temer que, conforme a Procuradoria Geral da República, foi editado com intuito de pagamento de propina a Temer e seus principais aliados. Temer nega. 
 
[SAIBAMAIS] 

Somado ao pedido da PF para prorrogação do prazo de investigação, outros documentos foram adicionados ao inquérito. Um deles é o registro da intimação da filha de Temer, Maristela. Ela irá depor à PF no dia 3 de maior, em São Paulo. 

A solicitação de prorrogação do inquérito foi apresentada ao relator do caso, ministro Luís Roberto Barroso. Ele enviou o pedido para a análise da PGR. A decisão de Barroso virá após o parecer da Procuradoria. Barroso já havia autorizado prorrogação por 60 dias. Oprazo que vence nesta semana. 
 
Redação O POVO Online 
TAGS