PUBLICIDADE
Notícias

Maior alvo de fake news negativas, Jean Wyllys já baniu cerca de 400 mil perfis

O ex-presidente Lula é a pessoa mais citada em levantamento sobre notícias falsas, 73% delas negativas e 20% positivas. Bolsonaro tem maior volume de menções positivas: 67%. Jean Wyllys é o único só com referências negativas

14:18 | 07/03/2018
Foto de Jean Wyllys discursando
Foto de Jean Wyllys discursando
[FOTO1]A disseminação de notícias falsas na Internet tem políticos entre os alvos preferenciais. Ao mesmo tempo em que alguns são difamados, há os que se beneficiam das chamadas fake news (termo inglês para notícias forjadas).

 
Levantamento feito pela revista Veja em 12 das páginas mais conhecidas por compartilhar esse tipo de conteúdo mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como personagem do maior número de notítica falsas. Das 116 postagens mentirosas envolvendo o petista, 73% eram notícias negativas, 20% positivas e outras 7% neutras.
 
Dos 10 maiores alvos de fake news, o deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) é o único com 100% de fake news negativas. Todas as 11 postagens com notícias falsas em que aparece tem teor difamatório. Já o mais favorecido é Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Das 18 postagens falsas que envolvem o parlamentar, 67% são positivas, 22% negativas e 11% neutras.
 
[SAIBAMAIS]
 
Segundo a equipe de mídias sociais do mandato de Jean Wyllys, cerca de 400 mil perfiis difamatórios já foram banidos da página do parlamentar no Facebook. São cerca de 1,5 mil comentários apagados mensalmente, com características homofóbicas, ameaça de violência física ou mesmo ameaças de morte.

 
"A Internet aceita tudo; seja verdade ou mentira, tudo se espalha com muita velocidade. Enquanto os mal-intencionados ganham seus cinco minutos de fama, outros sofrem conseguências reais pelo que foi dito sobre eles", disse Jean Wyllys ao O POVO Online, por meio de sua assessoria.

 
Jean ressalta que a disseminação de notícias falsas não é espontânea nem parte de cidadãos comuns, mas sim planejada. "São fabricadas e divulgadas por setores políticos e religiosos que têm muito dinheiro e estrutura para isso, que usam perfis falsos, sites hospedados no Exterior, robôs, disparam mensagens massivas pelo WhatsApp, promovem grupos e páginas pagas no Facebook etc".

 
O deputado também afirma por que acha que é um dos alvos preferenciais. "Muitas dessas pessoas, ligadas a setores fascistas da política e ao fundamentalismo religioso, identificam em mim um inimigo. Por outro lado, existe a homofobia. Muita gente que vê essas mentiras na Internet acredita nelas porque eu sou gay, ou até não acredita, mas mesmo assim compartilha, por preconceito".

 
Levantamento

 
O levantamento da Veja isolou 4.591 postagens que viralizaram entre cerca de 12 mil publicação das páginas "Apoiamos a Operação Lava Jato - Juiz Serio Moro", "Bruno Gagliasso Amor e Fé", "Click Política", "Diário do Brasil", "Operação Militar", "Pensa Brasil 2", "Plantão Brasil", "Por um Brasil Melhor", "Mexeu com o General Mourão, Mexeu com Toda Nação", "Notícias Brasil On-Line" e "Você Precisa Saber". Foram identificados 534 posts com conteúdos inverídicos sobre política, saúde e economia. Alguns dos textos foram misturados com histórias verdadeiras.

 
O ranking de menções fica assim:

 
Ex-presidente Lula - 116 notícias falsas
 
73% negativas
 
20% positivas
 
7% neutras

 
Presidente Michel Temer - 77 notícias falsas
 
92% negativas
 
4% positivas
 
4% neutras

 
Juiz Sergio Moro - 59 notícias falsas
 
53% negativas
 
37% positivas
 
10% neutras

 
Ministro Gilmar Mendes - 24 notícias falsas
 
96% negativas
 
4% neutras

 
Senador Aécio Neves - 20 notícias falsas
 
90% negativas
 
10% neutras


 
Ex-presidente Dilma Rousseff - 19 notícias falsas
 
95% negativas
 
5% positivas


 
Deputado Jair Bolsonaro - 18 notícias falsas
 
22% negativas
 
67% positivas
 
11% neutras


 
Ministra Cármen Lúcia - 17 notícias falsas
 
76% negativas
 
6% positivas
 
18% neutras


 
Deputado Jean Wyllys - 11 notícias falsas
 
100% negativas

 
Ex-governador Sérgio Cabral - 11 notícias falsas
 
82% negativas
 
18% neutras
 
 
Redação O POVO Online 
TAGS