PUBLICIDADE
Notícias

Há dez anos, Bolsonaro não destina emendas à cidade de servidora fantasma

A última solicitação, de R$ 150 mil, foi feita em 2008 para obra em igreja, localizada no distrito

11:44 | 16/01/2018
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) não destina emendas parlamentares ao município de Angra dos Reis - no sul do Rio de Janeiro - desde 2008, conforme revelou o jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira, 16. É nesta cidade onde o presidenciável mantém empregada uma servidora de seu gabinete há 15 anos, e possui uma casa de veraneio na Vila Histórica de Mambucaba, a cerca de 50 km do centro de Angra, há 20 anos. 
 
Segundo os mapas eleitorais do Estado, o município não é base eleitoral do deputado. 
 
Na última quinta-feira, 11, o mesmo jornal revelou que o parlamentar utiliza verba da Câmara para empregar Walderice Santos da Conceição, 49 anos, que é sua vizinha de casa de praia e que trabalha em uma loja de açaí. O marido dela, Edenilson Garcia, é apontado por moradores do local como caseiro do imóvel. 
 
Sobre Walderice, Bolsonaro afirma que ela atua reportando a ele ou a seu chefe de gabinete "qualquer problema na região". "Ela faz o que todo comissionado faz. Qualquer problema na região ela entra em contato com o chefe de gabinete. (Relata) Uma carência da prefeitura, em que como parlamentar posso apresentar uma emenda", disse o presidenciável à Folha
 
Desde 2003, Bolsonaro destinou três emendas para Angra dos Reis, apontam dados da Câmara dos Deputados e do "Siga Brasil", do Senado Federal. Duas são voltadas para Mambucaba, onde ele mantém a residência. 
 
No primeiro ano, o deputado destinou R$ 250 mil para a captação e tratamento de água com a implantação de dutos e reservatórios. Cinco anos depois, em 2008, ele solicitou R$ 150 mil para obra emergencial na Igreja Nossa Senhora do Rosário, localizada no distrito. 
 
A assessoria do presidenciável afirmou ao jornal paulistano que ele “tem a liberdade de contratar e exonerar quem ele quiser", no Estado do Rio de Janeiro, "na hora que achar melhor e no momento que achar oportuno". 
 
Acerca das emendas para Angra, a assessoria respondeu que Bolsonaro só responderá perguntas da Folha formuladas pessoalmente, em conversa gravada. 
 
Redação O POVO Online
TAGS