PUBLICIDADE
Política
De férias

Bolsonaro só comenta caso de urgência, diz assessoria sobre veto de Tasso

O senador cearense barrou o apoio ao presidenciável no palanque da oposição na disputa pelo Governo do Ceará, em outubro

11:01 | 11/01/2018
Jair Bolsonaro
(Foto: Fotos Públicas)
A edição de O POVO desta quinta-feira, 11, informa que o senador Tasso Jereissati (PSDB) vetou o apoio a Jair Bolsonaro (PSC-RJ) no palanque da oposição na disputa pelo Governo do Estado, em outubro. Por telefone, a assessoria de Bolsonaro informou que o parlamentar está de férias e não vai comentar sobre o assunto. “O deputado (federal) pediu para ser chamado apenas em caso de urgência”, posicionou-se a assessoria. 
 
A informação sobre o veto ao presidenciável, que mudará para o PSL, é de Fracini Guedes, presidente do PSDB Ceará. “Nós achamos que ele não é bom para o País”, afirmou Francini. 
 
O nome da oposição para o governo estadual ainda é incerto, apesar de o deputado estadual Capitão Wagner (PR) ter sido indicado por Tasso, conforme O POVO Online noticiou na terça-feira, 9. 
 
Para Wagner, a proibição do nome de Bolsonaro é um problema. “Grande parte da minha militância voluntária, que são aquelas pessoas que vão para a rua, vestem a camisa, seguram a bandeira de graça, até porque não posso pagar, é de eleitores do Bolsonaro”, avaliou o deputado estadual. 
 
Na noite desta quarta-feira, 10, Bolsonaro afirmou em vídeo publicado em rede social, que só deixa a candidatura à Presidência “tirado na covardia ou morto”. A declaração foi feita em resposta ao jornal Folha de S. Paulo, que publicou matéria sobre o crescimento do patrimônio do parlamentar e da família - avaliado hoje em cerca de R$ 15 milhões -, adquirido durante o exercício de cargos políticos. 
 
Redação O POVO Online