PUBLICIDADE
Notícias

Mãe de Geddel afirma ao STF que assessor do ex-ministro mentiu em depoimento

À Polícia Federal, o ex-assessor afirmou que Geddel e o irmão pediram a ele par destruir anotações, agendas e documentos que poderiam comprometer os dois peemedebistas

18:40 | 21/11/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

A mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), Marluce Quadros Vieira Lima, enviou manisfestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) na qual afirma que o ex-assessor Job Ribeiro Brandão contou "inverdades" em seu depoimento à Polícia Federal. Ela também afirma que está à disposição para prestar esclarecimentos, "a fim de restabelecer a verdade". A informação é do G1.

Ex-assessor do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel, Job Brandão foi preso, em setembro, durante uma operação da Polícia Federal que achou R$ 51 milhões em malas guardadas em um apartamento, em Salvador, atribuído ao ex-ministro. Hoje, Brandão é monitorado eletronicamente em uma prisão domiciliar.

À Polícia Federal, o ex-assessor afirmou que Geddel e o irmão pediram a ele para destruir anotações, agendas e documentos que poderiam comprometer os dois peemedebistas. Brandão ainda disse que, a pedido de Geddel, de Lúcio e da mãe dos irmãos, ajudou na destruição de documentos. Conforme o ex-assessor, esses documentos foram picotados e jogados no vaso sanitário.

Ele ainda disse aos investigadores que as quantias variavam de R$ 50 mil a R$ 100 mil e chegavam em pacotes de papel pardo. Às vezes, segundo o ex-assessor, as cédulas apareciam soltas ou envoltas em fitas.

O ex-secretário parlamentar afirmou que não sabia de onde vinha o dinheiro, mas informou que contava e separava as notas para repassar a pessoas no apartamento da mãe de Geddel e Lúcio. Brandão disse que chegou a contar dinheiro dentro do apartamento do deputado Lúcio Vieira Lima.

Brandão veio a se tornar alvo da PF após os investigadores terem encontrado digitais dele no apartamento e em parte do dinheiro encontrado.

 

Redação O POVO Online

TAGS