PUBLICIDADE
Notícias

Sessão que analisa denúncia contra Temer tem bate-boca entre deputados

Em defesa da rejeição do processo, Wladimir Costa atacou membros da oposição e classificou o relator Sérgio Zveiter como "burro e incompetente"

13:41 | 12/07/2017

[VIDEO1] 

Sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que debate denúncia contra Michel Temer já teve seu primeiro embate na Câmara dos Deputados. Em defesa da rejeição do processo, o deputado Wladimir Costa (SD-PA) fez uma série de críticas a deputados da oposição e ao relator do caso, Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), a quem chamou de “burro e desqualificado”.

"Eles só falam de Temer, Temer, Temer. Isso é um 'Temerofóbico'. Os 'Temerenrustidos' amam o Temer, aplaudem o Temer, mas ficam com um pouco mais tímidos por causa do partido", disse, aos gritos. Depois, o deputado passou a disparar críticas contra uma série de deputadas da Casa, chegando a dizer que Benedita da Silva (PT-RJ) teve que "usar calcinhas de plástico".

[SAIBAMAIS]Em seguida, passou a atacar o relator: "Volte a estudar direito. O senhor está ruim de direito. O senhor envergonhou sua categoria. Se o senhor voltar à advocacia vai passar fome. O senhor é burro, incompetente, desqualificado", gritou. O relator reagiu, cobrando que as acusações sejam removidas das notas taquigráficas da sessão.

Citadas pelo deputado, Maria do Rosário (PT-RS), Luiza Erundina (Psol-SP) e Benedita da Silva rebateram o deputado, o classificando como “desqualificado”. “Eu tenho quarenta anos de vida pública e sou ficha limpa, não vou responder esse tipo de acusação desqualificada, baixa”, disse Erundina.

Debate na CCJ

Segundo prazos regimentais, esta fase de debates pode durar mais de 40 horas. Após esta fase, o relator do processo, Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), reforçará seu voto favorável à admissibilidade e fará suas considerações finais. Depois, falará o advogado de Temer Antonio Claudio Mariz.

Debate deve demorar pois, antes da votação, cada um dos 66 deputados terá direito a falar por até 15 minutos, assim como os 66 suplentes. Além deles, também terão direito a dez minutos de fala cada 40 parlamentares não membros da CCJ, assim como os líderes partidários.

Até agora, o placar na CCJ segue incerto. Segundo levantamento feito pelo jornal Estado de S. Paulo, Temer conta hoje com 20 votos a favor da denúncia e 20 contra. Os demais se dizem "indecisos". Vale destacar, no entanto, que este número ocorre após uma série de alterações provocadas pelo Planalto no grupo.

Redação O POVO Online 

TAGS