PUBLICIDADE
Notícias

Lula dava a "palavra final do chefe" em esquema de caixa 2, diz João Santana

O ex-marqueteiro de Lula afirmou que ele e Dilma sabiam de todos os pagamentos oficiais e ilegais feitos para as campanhas

16:39 | 11/05/2017

Mais informações em instantes

O marqueteiro João Santana declarou ao Ministério Público Federal (MPF), no anexo da delação premiada, que os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (ambos do PT) sabiam dos pagamento feitos por meio de caixa dois nas campanhas eleitorais.

 

Ele informou que conversou diversas vezes com os petistas quando rpecisava fazer cobranças. “Nestas oportunidades, tanto Lula como Dilma se comprometeram a resolver o impasse e, de fato, os pagamentos voltavam a ocorrer. Tanto os pagamentos oficiais, quanto os recebimentos de valores através de caixa 2”, afirmou.

 

O ministro Edson Fachin, responsável pela Operação Lava Jato, retirou o sigilo da delação de Santana e de sua mulher, a empresária Mônica Moura, nesta quinta-feira. 

 

No depoimento, Santana fala da relação da Odebrecht no pagamento das dívidas de campanha e diz que Dilma e Lula sabiam que a conta seria paga com recursos de caixa dois da empreiteira baiana. Ele ainda afirma que o então ministro da Fazenda, Antônio Palocci, dizia que decisões definitivas sobre pagamentos dependiam da “palavra final do chefe”, em referência a Lula.

 

Em dois momentos da campanha à reeleição de Lula, Santana diz ter ameaçado interromper os trabalhos em razão de inadimplência. Depois disso, o petista pressionou Palocci que “colocou a empresa Odebrecht no circuito”. As informações foram divulgadas pelo jornalista Fausto Macêdo, do O Estado de São Paulo.

Redação O POVO Online

TAGS