PUBLICIDADE
Notícias

Manifestação na Beira Mar pede saída de Temer

A manifestação, que seguiu pacífica, foi dispersada com balas de borracha quando algumas pessoas deixavam o local. Uma pessoa foi detida e outras ficaram feridas com os disparos

16:02 | 07/09/2016
Na foto, multidão faz concentração na estátua de Iracema, na Beira Mar, em Fortaleza
Na foto, multidão faz concentração na estátua de Iracema, na Beira Mar, em Fortaleza

[FOTO1] 

Atualizada às 23h25min

Movimentos sociais organizaram protestos em todo o Brasil contra o governo de Michel Temer, nesta quarta-feira, 7, feriado pelo Dia da Independência do Brasil. A concentração em Fortaleza começou na estátua de Iracema na avenida Beira Mar, por volta das 16 horas, com a presença do MST (Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores), UJS (União da Juventude Socialista) e partidos de esquerda, como PSOL, PT, e o Mais (organização que rompeu com o PSTU).

Os manifestantes caminharam até o Náutico, onde resolveram seguir em direção ao Anfiteatro da Beira Mar.  A mobilização, que propôs mais um ato "Fora, Temer" neste domingo, 11, foi pacífica durante todo o percurso, mas balas de borracha foram disparadas pela Polícia no fim do ato.

A organização do protesto estimou uma total de 15 mil pessoas, até o início da noite.

[VIDEO1] 

Por volta das 17h13min, os manifestantes começaram a sair da Praia de Iracema, pela Ildefonso Albano, em direção à avenida Monsenhor Tabosa. Eles chegaram a fechar a avenida Historiador Raimundo Girão e passaram pela Barão de Studart para voltar à Beira Mar e seguir em direção ao Náutico.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que equipes da Polícia Militar acompanharam o protesto, mas não divulgou a quantidade do efetivo nem fará estimativa do número de participantes. A Autarquia de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) orientou o trânsito no entorno da Beira Mar e recomendou aos motoristas a evitassem transitar pela região, por conta do bloqueio das vias durante a passagem dos manifestantes.

%2b Veja as fotos do protesto contra Temer na Praia de Iracema

Balas de borracha foram disparadas pela Polícia na área do Anfiteatro, por volta das 19h30min, de acordo com os manifestantes. ''A Polícia estrategicamente esperou o ato se dissipar para atacar as pessoas que estão dentro da manifestação. Quando as pessoas estavam indo ele chegaram para atacar", relatou a estudante da Universidade Federal do Ceará, Julianne Pinheiro.

Ian Gabriel disse que uma pedra foi jogada contra um prédio por um grupo de Black Bloc e um carro foi incendiado. "A Polícia veio lá de cima fechando um cerco. Houve dois tiros de bala normal e quatro de borracha", narrou. 

''Foi completamente pacífica, acompanhei todo o tempo quando me avisaram dessa intervenção policial. Isso é um absurdo, vamos virar São Paulo, onde são probidas manifestaçoes? O Temer baixa a ordem e o Camilo segue e reprime? É lamentável porque desde a saída da praia de Iracema foi tudo muito pacífico", questionou o candidato à Prefeitura de Fortaleza, João Alfredo (PSOL). 

Segundo um professor, identificado apenas como Leonardo,  a Polícia atirou para cima e jogou bombas de efeito moral. "Chegou causando terror nos manifestantes. A Polícia aqui do Ceará agindo como a de São Paulo, tentando criminalizar àqueles que estão lutando, justamente, contra isso. Foi uma surpresa, a galera não entendeu essa atitude truculenta". 

"A gente estava gritando só Temer fascista, ninguém fez nada, ninguém agrediu. Eles só chegaram atirando, bateram em um colega meu. A Polícia sem nenhum treinamento. É isso que a Polícia em toda comunidade pobre de Fortaleza", contou ao O POVO o estudante do Ensino Médio, Rennede Silva. 

O POVO tentou contato com o porta-voz da PM, tenente-coronel Andrade Mendonça, mas as ligações não foram atendidas. No fim da noite desta quarta, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) enviou nota informando que a manifestação  ocorria pacífica,  "embora no percurso cerca de 50 pessoas, provavelmente infiltradas, realizaram atos de vandalismo, pichando e quebrando fachadas". "Na dispersão, policiais militares que estavam no local utilizaram munição menos letal para dispersar um grupo, após pedras terem sido atiradas em uma viatura. Uma pessoa foi detida. A SSPDS informa ainda que possíveis excessos por parte dos policiais serão devidamente apurados", completa. 

Manifestantes denunciam golpe

O ato foi organizado por movimentos sociais, estudantes e manifestantes contrários ao impeachment. No Facebook, o “1º Grande Ato - Fora Temer em Fortaleza” contava com a confirmação de mais de 14 mil pessoas.

A historiadora Elce Linhares é uma das participantes do ato nesta tarde. "Como historiadora, me vejo na obrigação de lutar pela democracia do Brasil", diz.

[FOTO2] 

Matheus Santos, 20, estudante, disse que foi ao protesto porque Temer tornou-se presidente por de meio de um "golpe". Ele pede a saída do presidente e novas eleições. 

[FOTO6] 

[FOTO7]Suyanne Pedrosa endossa o coro dos manifestantes de que houve um "golpe" e pede eleições diretas imediatamente.  "O governo foi tirado ilegitimamente pelos parlamentares", defende. 

Cristiane Cunha também pede eleições diretas. Para ela, 61 votos [de senadores] não podem ser mais do que os de 54 milhoes de brasileiros que elegeram Dilma.

[SAIBAMAIS]

[FOTO9]

 

 

Esse foi, pelo menos, o terceiro ato "Fora, Temer" registrado na capital cearense em uma semana. Na quarta-feira passada, uma manifestação contra o presidente ocorreu na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica. No mesmo bairro, próximo à avenida 13 de Maio, estudantes protestaram contra Temer e contra o impeachment de Dilma, na quinta-feira, 1º de setembro.

[FOTO3] 

[FOTO4]

[FOTO5] 

[FOTO8] 

Redação O POVO Online com informações do repórter Wagner Mendes
TAGS