PUBLICIDADE
Notícias

Após queda de ministro, Temer usa posse para reforçar apoio à Lava Jato

Fala tenta diminuir desgaste após o governo ter duas baixas no primeiro escalão em menos de 20 dias de governo

10:51 | 01/06/2016
O presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), usará evento de posse dos novos presidentes de uma série de órgãos da economia para reafirmar compromisso de combate à corrupção e defesa da Operação Lava Jato. Segundo a Folha de S. Paulo, a fala tenta diminuir desgaste após o governo ter duas baixas no primeiro escalão em menos de 20 dias de governo.

Em ambos os casos, os ex-ministros Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) foram pegos em gravações do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, criticando a operação e auxiliando seus investigados. No caso de Romero, o ex-ministro chegou até a sugerir “acordão” para blindar acusados da Lava Jato

[SAIBAMAIS 3]Ambas as gravações foram incluídas na investigação da operação na Justiça Federal. Segundo auxiliares do presidente em exercício, Temer deverá ainda reforçar discurso de que integrantes do governo que cometerem qualquer crime deixarão o cargo.

No evento, deverão ser empossados os novos presidentes da Petrobras, BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Ipea. O evento, que originalmente incluiria apenas a nova gerência da Petrobras e do BNB, ganhou novo peso e já é chamada de “superposse”.

Na manhã desta quarta-feira, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Torquato Jardim, foi indicado para a pasta da Transparência, Fiscalização e Controle.

Redação O POVO Online
TAGS