PUBLICIDADE
Notícias

Os 11 motivos para o afastamento de Cunha

As razões apontadas comprovariam o uso do cargo pelo deputado para "constrager, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de embaraçar e retardar investigações."

09:50 | 05/05/2016
NULL
NULL

O ministro do STF Teori Zavascki afastou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do cargo de líder da Casa e do mandato de deputado. A decisão foi tomada em cima de pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em dezembro de 2015.

Leia a decisão na íntegra

No pedido entregue por Janot, o procurador lista 11 motivos que justificam o afastamento de Cunha da presidência da Câmara dos Deputados:

1 - Requerimentos feitos por aliados de Eduardo Cunha para pressionar o pagamento de propina da Mitsui

2 - Requerimentos e convocações feitos na Câmara com intuito de pressionar donos do grupo Schahin

3 - Convocação da advogada Beatriz Catta Preta à CPI da Petrobras para "intimidar quem ousou contrariar seus interesses"

4 - Contratação da empresa de espionagem Krol pela CPI da Petrobras, "empresa de investigação financeira com atuação controvertida no Brasil"

5 - Utilização da CPI da Petrobras para impor pressão sobre Grupo Schahin e convocação de parentes do doleiro Alberto Youssef

6 - Abuso de poder, com objetivo de afastar a aplicação da lei, para impedir que um colaborador corrija ou acrescente informações em depoimentos já prestados

7 - Retaliação aos que contrariam seus interesses, referente ao caso da demissão do ex-diretor de informática da Câmara que revelou a autoria de requerimentos feitos por aliados de Cunha

8 - Recebimento de vantagens indevidas para aprovar medida provisória de interesse do banco BTG

9 - "Manobras espúrias" para evitar investigação no Conselho de Ética Câmara, com obstrução da pauta com intuito de se beneficiar

10 - Ameaças ao deputado Fausto Pinato, ex-relator do seu processo de cassação

11 - Outras ameaças e oferta de propina ao ex-relator Pinato

Redação O POVO Online

TAGS