PUBLICIDADE
Notícias

Operação faz batida em Secretaria e na casa do prefeito de Aracati

Ação investiga suposta cobrança de até 20% de propina para realização de obras tocadas pela Assistência Social durante gestão da primeira-dama do Município

10:39 | 06/05/2016
NULL
NULL

A casa do prefeito de Aracati, Ivan Silvério (PDT), e a Secretaria de Assistência Social do Município foram alvos nesta sexta-feira, 6, de ação de busca e apreensão da Polícia Civil. A diligência integra Operação “Lata Velha”, que apura suposto recebimento de propinas que envolveria a primeira-dama e ex-secretária de Assistência Social de Aracati, Eline Gomes.

Segundo a investigação, gestão da primeira-dama teria criado um “esquema” de superfaturamento de até 20% em cada obra de construção civil tocada pela Assistência Social. A suposta irregularidade foi denunciada pela própria empresária que integrava o esquema e que gerou abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) pela Câmara Municipal.

Segundo o MP, a empresária alegou que não “suportava mais” o peso da propina em seu negócio e resolveu denunciar o suposto esquema ao órgão.

[SAIBAMAIS 2]"Lata velha"

Os recursos vindos do superfaturamento eram justificados com a finalidade de “reformar” a frota de ônibus da Secretaria de Assistência Social, em ação semelhante ao quadro “Lata Velha”, do programa de televisão Caldeirão do Huck. Na manhã desta sexta, documentos foram apreendidos tanto na casa do prefeito quanto na casa de assessoras da primeira-dama.

Outro lado


A procuradora-geral de Aracati, Julliany Amaral, negou que a Prefeitura do Município ou a primeira-dama tenham envolvimento em qualquer pagamento de propinas. Ela destaca que a denúncia atinge diretamente uma assessora da primeira-dama, mas não implica diretamente Eline Gomes nas irregularidades.

“Não envolve a gestão, até porque é um trabalho que já vinha sendo feito nessa CPI, e nós nunca negamos em dar nenhuma informação, nenhum documento. Temos convencimento de que não existe esse recebimento de propina por ninguém da administração”, diz. Ela destaca que a assessora da Assistência Social acusada de comandar o esquema já foi exonerada.

"Em relação à denuncia mencionada, destacamos que o Prefeito Municipal agiu de maneira firme e exonerou à época todos os supostos envolvidos, instaurando imediatamente processo administrativo disciplinar, como também apoiou a abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito pelo Legislativo Municipal", diz nota da Prefeitura.

Redação O POVO Online
TAGS