PUBLICIDADE
Notícias

Adail almoçou com Dilma e garantiu apoio horas antes de voto pró-impeachment

O POVO apurou que mudança no voto de Adail foi comunicada "de última hora", poucos minutos antes de o deputado ir ao microfone da Câmara

15:48 | 18/04/2016
NULL
NULL

Poucas horas antes de votar pelo impeachment de Dilma Rousseff, Adail Carneiro (PP-CE) almoçou com a presidente e garantiu a ela apoio na votação deste domingo. Segundo interlocutores que acompanharam o processo de negociação final com a petista, mudança no voto de Adail foi comunicada “de última hora”, poucos minutos antes de o deputado ir ao microfone da Câmara.

Até a última sexta-feira secretário especial do governo Camilo Santana (PT), Adail deixou o governo para votar contra o impeachment da presidente. O deputado inclusive saiu ao lado de Dilma em foto divulgada na sexta pelo Governo do Ceará. No domingo, o deputado teria saído do Palácio da Alvorada com compromisso de voto pró-Dilma, o que não acabou ocorrendo.

Na hora do voto, Adail chegou a pedir desculpas ao ex-presidente Lula (PT) e ao ex-governador Cid Gomes (PDT), mas acabou dando voto pró-impeachment. O voto foi comunicado minutos antes para assessores do governo do Estado e foi um dos que causou maior surpresa na própria presidente Dilma.

[SAIBAMAIS 3]Surpresa

“Ué, esse cara não passou a tarde toda aqui com a gente e foi lá e votou contra?”, teria dito a presidente, segundo o jornal Estado de S. Paulo. Camilo, que acompanhou a votação ao lado de Dilma e do ex-presidente Lula, não soube explicar a traição.

Em nota, o deputado destacou que possuía compromisso sim com Camilo Santana, mas que também pesou a orientação do Partido Progressista (PP), que votou sim pelo impedimento. "Decidi não me abster, votei sim e me posicionei junto à maioria da população brasileira, aos meus eleitores que tanto expressaram isso através das minhas redes sociais. Nosso povo quer ver ações em favor da coletividade. Reafirmo o meu compromisso com o povo brasileiro, vamos superar esse impasse político e resgatar a credibilidade do nosso Governo”, disse.

Governo do Ceará

Procurada pela reportagem, a assessoria do governo do Ceará negou comentar o caso e disse que ainda não há definição sobre o futuro de Adail no governo. Nos bastidores, no entanto, se comenta que o retorno do parlamentar é “inviável”.

TAGS