PUBLICIDADE
Notícias

Saída de Toinha Rocha do Psol é oficializada na Câmara Municipal

Vereadora se filiou à Rede Sustentabilidade, após indecisão sobre mudança de partido no ano passado

12:24 | 02/03/2016

O vereador João Alfredo (Psol) oficializou, nesta quarta-feira, 2, o desligamento da vereadora Toinha Rocha do Partido Socialismo e Liberdade. Durante a sessão plenária da Câmara Municipal, o vereador leu a carta de desfiliação, a pedido de Toinha. Ela deixa o Psol para se filiar ao Rede Sustentabilidade.

O documento anunciando a saída do Psol foi entregue na noite da terça-feira, 1°, pela vereadora, em reunião com João Alfredo, o deputado estadual Renato Roseno e outros membros da Executiva do partido. Nesta quarta-feira, 2, Toinha viajou para Brasília, onde participa de encontro do novo partido.
[SAIBAMAIS 3]
Em nota divulgada no Facebook, Toinha afirma que a filiação à Rede "expressa o entendimento de que o novo partido pode possibilitar um novo fôlego à minha intervenção na Câmara Municipal". Entre as pautas defendidas pela vereadora, estão os direitos das mulheres, a proteção à infância, as causas LGBTs e o bem estar animal.

"Deixo o PSOL, mas não abandono nenhuma das pautas que me levaram a me filiar ao partido e militar nesse espaço por mais de 8 anos", escreveu Toinha.

[VIDEO1] 

Indecisão
Em setembro de 2015, foram divulgados os primeiros rumores da saída de Toinha do Psol. À época, ela chegou a anunciar a mudança, mas voltou atrás, alegando que não era o momento para se afastar do Psol.

Toinha tem acumulado desavenças, nos últimos meses, com a corrente Insurgência - da qual fazem parte o vereador João Alfredo e o deputado estadual Renato Roseno -, que é maioria na direção do partido. Em 2013, após eleição da Executiva, Toinha acusou seu colega vereador de ter "centralizado" o processo, mitigando o espaço para pessoas que não fossem ligadas a ele.

No fim de 2014, por ocasião da eleição da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal, a divisão foi novamente exposta. Toinha acusou a Insurgência de tentar “a todo tempo patrulhar e cercear o exercício do nosso mandato”. O motivo era seu compromisso de apoiar o nome de Salmito Filho (Pros). A Insurgência foi contra.

Nas duas ocasiões, João Alfredo rebateu as acusações. “A dificuldade da vereadora é que ela não aceita as posições do partido”, afirmou. O parlamentar disse que lamenta que Toinha traga a público dissensos internos da agremiação. Segundo ele. “Isso é a alegria da direita, é a alegria do prefeito”, disse em 2014.

Redação O POVO Online
TAGS