PUBLICIDADE
Notícias

Encontro de Dilma com juristas soma críticas a "abusos" de Moro; siga

O evento foi articulado para demonstrar apoio da classe jurídica ao governo Dilma Rousseff. Na semana passada, a OAB decidiu apoiar o impeachment

11:58 | 22/03/2016

Após ter conversas suas divulgadas em grampos da Operação Lava Jato, a presidente Dilma Rousseff (PT) recebe nesta terça-feira, 22, o apoio de um grupo de advogados e juristas contrários às interceptações e ao processo de impeachment. O evento, que ocorre no Palácio do Planalto, foi dominado por críticas ao juiz da Operação Lava Jato, Sérgio Moro.

Acompanhe o evento com juristas ao vivo:

[VIDEO1] 

O evento, articulado para demonstrar apoio da classe jurídica ao governo Dilma, ocorre poucos dias após a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidir apoiar o pedido de impeachment da presidente no Congresso. O encontro é organizado pela Associação dos Advogados pela Democracia e a Associação dos Juízes pela Democracia.

[SAIBAMAIS 4]"Arbitrariedades"


“Nós somos a favor do combate à corrupção, mas não podemos permitir arbitrariedades nem cultura do ódio, que divide até famílias”, disse o juiz aposentado cearense Inocêncio Uchoa, em entrevista ao Blog do Eliomar. “Na democracia, a gente tolera e ouve a outra parte divergente. A ditadura impõe. Não podemos permitir isso no País”.

Professor da Universidade de Brasília, o jurista Marcelo Neves afirma que a corrupção deve ser combatida, mas destaca que “nem juízes nem ministros do STF estão acima da lei”. “Não é questão de ser contra as investigações, é ser contra a parcialidade, a ilegalidade, inconstitucionalidade de parte dessas operações”, disse, classificando grampos como “absurdos”.

Redação O POVO Online
TAGS